Vão: Residência, Avaré, SP

Beleza austera

Sem ter um cliente definido, Anna Juni, Enk te Winkel e Gustavo Delonero, sócios do escritório Vão, desenvolveram o projeto dessa casa em Avaré, SP, atendendo a um programa não personalizado, uma vez que ela foi edificada para ser comercializada. Conforme observa o trio, a residência foi pensada não como objeto mas como um percurso voltado para o interior, alternando ambientes abertos e fechados, luz natural, sombras e reflexos, que se modificam de acordo com a época do ano

Janela Incorporadora e Construtora é a empresa que conferiu ao escritório paulistano Vão a responsabilidade de projetar, em Avaré, cidade do interior de São Paulo, a cerca de 260 quilômetros da capital, a Casa Sem Dono Número 1. A moradia é o primeiro dos três imóveis que a Janela prevê edificar em terrenos contíguos, de sua propriedade, localizados no bairro São Judas Tadeu V. O plano da construtora/incorporadora é construir no município - onde a empresa concentra sua atuação e desenvolveu a maior parte de seus empreendimentos -, casas para venda posterior, conforme informam os sócios do Vão.

Diferente, portanto, do que acontece em encargos do mesmo gênero, quando os projetos espelham desejos e particularidades de cada cliente. Anna, Winkel e Delonero, sócios do Vão, não contavam com um programa específico ou ambientes pré-determinados, e sua proposta deveria contemplar diversas dinâmicas familiares. Os arquitetos escolheram então uma solução na qual, conforme eles conceituam, o projeto não é um objeto e sim um percurso voltado para o interior, misturando espaços abertos e fechados. “Jogos de luz natural e reflexos se alternam conforme o horário e a época do ano”, escrevem no memorial.

Na compreensão dos autores, a casa se apresenta ao olhar externo como uma reentrância esculpida na massa construída, com a parede inclinada dirigindo a perspectiva para o início do percurso. Valendo-se da legislação local que dispensa os recuos, eles ocuparam totalmente a largura do lote de dimensões padrão (10,6 m x 20 m). “Dessa forma, em vez de um objeto solto com planta estreita e pequenos recuos laterais, a casa passou a ter melhores proporções espaciais e áreas externas mais concentradas e proveitosas”, argumenta a equipe.

Como o terreno apresenta um ligeiro declive transversal (60 cm) o projeto optou por fracionar o programa em dois níveis: no primeiro, na lateral esquerda, ficam as áreas sociais e serviços, às quais se chega da entrada; no segundo, depois de transposta uma escada, estão os ambientes privativos. “A entrada da casa se faz por um pé-direito mais baixo, nivelado pelo volume de concreto aparente que pode ser visto desde fora. O volume adentra a construção através de uma curva e se desenvolve para organizar os programas do lavabo, cozinha e área de serviço”, detalham os autores.

As áreas de estar, jantar e cozinha orbitam um pátio envidraçado no centro da planta, o que dilui os limites e integra os ambientes. O pátio e sua extensão (área com piso rebaixado revestida com ladrilhos hidráulicos) são cobertos por pérgola de elementos vazados. Esses componentes foram concretados em série, já na altura de uso, preenchendo-se a forma unitária montada no local. “A técnica foi resgatada de estudos da obra de Rino Levi, onde o arquiteto utiliza pré-fabricados de concreto em residências para criar entradas de luz em meio à laje”, explicam os arquitetos. Para fazer a transição entre o espaço público e o privado, os sócios do Vão recorreram a um jardim frontal iluminado por triângulos de luz natural (rasgados na laje de cobertura), sendo essa área verde arrematada por um banco junto à calçada. “O banco convida a uma prática muito comum nas cidades do interior: sentar e observar a rua”, assinala a equipe. 

  

Vão
Fundado em 2013, em São Paulo, o Vão é um escritório cuja produção resulta da constante pesquisa arquitetônica e da aproximação dessa com as artes plásticas, por meio de colaborações com artistas contemporâneos. Em 2014, o estúdio foi o segundo classificado no concurso do Anexo BNDES, no Rio de Janeiro e, em 2015, venceu o concurso internacional Geometrías Invisíbles promovido pelo espaço Liga, na capital mexicana. Anna Juni (FAU/Mackenzie, 2013), Enk te Winkel (FAU/ Mackenzie, 2012) e Gustavo Delonero (FAU/Mackenzie, 2011) são os sócios do Vão



Ficha Técnica

Casa Sem Dono Número 1 
Local Avaré, SP 
Data do início do projeto 2011
Data da conclusão da obra 2015
Área do terreno 265 m²
Área construída 180 m²

Arquitetura Vão - Anna Juni, Enk te Winkel e Gustavo Delonero
Consultoria luminotécnica Reka
Incorporação Janela Incorporadora e Construtora
Construção Jenivaldo Ferreira Araújo
Fotos Pedro Kok

 

Fornecedores

Iluminação Reka
Marcenaria Marcenaria Godoy
Serralheria Serralheria Inova
Ladrilho hidráulico Dalle Piagge
Vidros Vidraçaria Salgado

Texto de Adilson Melendez| Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 437
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora