TODOS Arquitetura + ENTRE Arquitetos: Geração Digital Santander, São Paulo

Transformação na cultura e no espaço

A intervenção realizada pelos escritórios TODOS Arquitetura e ENTRE Arquitetos buscou alinhar o centro de desenvolvimento tecnológico do banco Santander, na zona sul de São Paulo, à nova cultura de trabalho da empresa. Com uma abordagem multidisciplinar, o projeto foi baseado na imersão liderada pela agência de inovação WAKE no espaço de 90 mil metros quadrados, onde convivem mais de 2.000 funcionários

Após cerca de dois meses de atividades internas facilitadas pela agência de inovação WAKE, desenhou-se um tipo de manifesto do cliente e dos colaboradores de diferentes áreas do banco, que norteou, junto a pesquisas de marca, mercado, comportamento e cultura, o desenvolvimento de soluções para o novo espaço Geração Digital Santander.

A partir dessa etapa de criação conjunta, os escritórios TODOS Arquitetura e ENTRE Arquitetos projetaram a reformulação do campus com cerca de 50 mil metros quadrados de área construída. “A questão foi intervirmos entendendo a complexidade de todo o ecossistema. Porque há muitas pessoas, muitas diretrizes”, ressaltam os arquitetos.

Uma das principais premissas do projeto era que os espaços de trabalho refletissem a vocação tecnológica e de inovação do centro, permitindo que os funcionários imergissem na nova cultura da instituição financeira, aumentando seu senso de pertencimento e bem‑estar e, consequentemente, a produtividade.

Segundo os escritórios, a estratégia do retrofit foi intervir sobre o essencial, revelando estruturas, diminuindo os custos de manutenção e inserindo elementos realmente importantes para a reconfiguração do local.

Três blocos existentes foram reorganizados. Voltado à avenida Interlagos, o edifício chamado First Gate ganhou um invólucro metálico. Uma marquise vermelha central criada com o mesmo material funciona como um eixo de circulação que culmina na recepção, marcando a transição entre espaços externo e interno.

No térreo, há uma grande sala para acolhimento dos visitantes, com ambientes de espera, cabines metálicas vazadas para reuniões informais e espaços mais privados no perímetro. No lado oposto, está o auditório, que a fim de promover a flexibilidade de layout conta com cadeiras empilháveis, palco central removível e portas pivotantes que inclusive o integram ao exterior.

Ainda com a predominância do vermelho - principal cor do banco - nos materiais e revestimentos, o primeiro pavimento abriga espaços de trabalho. Elemento central do layout, o módulo de abastecimento reúne itens como impressora, coleta seletiva de lixo e kit de limpeza, estimulando a autonomia e a movimentação dos funcionários no ambiente.

Os arquitetos explicam que, diante das dinâmicas de trabalho existentes em forma de equipes multidisciplinares que se estruturam em função de projetos temporários, foram criadas estações livres, guarda-volumes automatizados, além de estruturas metálicas autoportantes pensadas como espaços de trabalho e reunião informal, cujos fechamentos em vidro serigrafado podem ser usados como telas em branco, reforçando a ideia de arquitetura apropriável.

Esse conceito de área de trabalho se repete no prédio principal, o Big Data. Antes compartimentados, os dois pavimentos com quase 8.000 metros quadrados cada foram transformados em grandes ambientes abertos, setorizados em quatro “bairros” identificados pela paleta cromática da marca.

Preservando atividades mais privadas, salas de reunião e espaços de call conformam o cruzamento das duas alamedas de circulação entre os “bairros”. Junto aos acessos principais estão praças com copas e salas coletivas.

Implantado entre as outras duas edificações, o terceiro bloco tem apenas um nível. Coloridos com a paleta de apoio da marca, laboratórios criativos com diferentes tipologias de mobiliário e configuração estão dispostos no perímetro da planta pensada como uma vila. No centro, uma estrutura de copa com mesas comunais ganhou tonalidade mais discreta.

Optou-se por um projeto com tetos aparentes, ampliando o pé-direito e deixando à mostra as estruturas e instalações dos prédios. No Big Data, por exemplo, sheds industriais foram revelados, ampliando a entrada de luz natural. Em contrapartida, foi necessário utilizar baffles - elementos de absorção sonora - e jateamento de celulose para preservar a acústica dos ambientes.

Antes subutilizadas, as áreas verdes externas foram permeadas por módulos arquitetônicos com infraestrutura de trabalho (wifi, tomadas, mesas etc.), atrelados aos blocos por marquises.

Há ainda um deque projetado como extensão do refeitório e, ao lado, um minimercado, café, restaurante e foodpark, que se transformaram em grande praça de alimentação e lazer. Um novo circuito de mobilidade, que prioriza o pedestre e veículos alternativos não motorizados, integra todo o campus.

  
TODOS Arquitetura

A TODOS nasceu do encontro entre três pessoas apaixonadas por arquitetura, design e marcas: Maurício Arruda (Universidade Estadual de Londrina, 1997), arquiteto especialista em arquitetura sustentável, Laís Delbianco (Universidade Presbiteriana Mackenzie, 2010), arquiteta especialista em gestão de projetos e Fábio Mota, administrador especialista em gestão de inovação. O escritório ganhou a categoria continental do Prix Versailles 2017, principal prêmio de arquitetura comercial do mundo.

 
ENTRE Arquitetos

Daniele Capella e Vinícius Capella, formados pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade São Judas Tadeu (FAU/USJT), em 2009, são sócios do escritório ENTRE desde 2014. Entre outros prêmios conquistados, o escritório ganhou o concurso nacional para revitalização do Baixo do Viaduto Silva Lobo em Belo Horizonte, em 2014, e foi finalista do Prêmio Objeto Brasileiro com a Mesa Mínima.



Ficha Técnica

Geração Digital Santander
Local
São Paulo (SP)
Início do projeto 2017 
Conclusão da obra 2018 
Área do terreno 90.000 m²
Área de intervenção 47.438 m²

Arquitetura TODOS Arquitetura - Fábio Mota, Laís Delbianco e Maurício Arruda (autores); ENTRE Arquitetos - Daniele Capella e Vinícius Capella (autores); André Matias, Anna Rossi, Marcos Trojan, Marília Leme, Mônica Nickel, Priscila Antibas e Rogério Gurgel (equipe TODOS); Cadu Marino, Daniella Oliveira, Guilherme Ramalho, Paula Romagnoli e Renan Bussi (equipe ENTRE)
Construtora Athie Wohnrath
Artista do mural do auditório no bloco First Gate Onio
Artista do mural no bloco Big Data Fabrízio Lenci
Fotos Ricardo Bassetti

Fornecedores

Drenaltec (piso drenante); Concresteel (piso); Portobello (piso frio); Interface Floor (carpetes); Sulmetais (fachada metálica); Santa Mônica (tapetes); Fernando Jaeger, Cremme, Tidelli (mobiliário); Metalco (mobiliário urbano); OWA (baffles); Lumini, Tensoflex (luminárias); Allpex (deque); Abatex (divisórias); Novara (mesas de trabalho)

Texto de Camila Gonzalez| Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 448
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora