Spadoni Arquitetos Associados: Parque Tancredo Neves, Vitória

Ócio e esporte entre o rio e a rua

O parque Tancredo Neves, na capital do Espírito Santo, expõe as habilidades urbanístico-arquitetônicas do escritório Spadoni Arquitetos Associados. Implantado em lote entre o rio e a rua, o equipamento reúne espaços para recreação/lazer e edifícios esportivos também destinados à formação de atletas. Nestes, à contemporaneidade plástica do ginásio somam-se elementos da arquitetura moderna evidenciados na configuração do prédio da academia.

Promovido em 2006 pela prefeitura de Vitória em conjunto com o departamento estadual do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB/ES), o concurso para o novo parque Tancredo Neves teve como vencedor o escritório paulistano Spadoni Arquitetos Associados. A competição buscava a melhor proposta para reconfigurar e qualificar o equipamento público, existente há duas décadas na capital do Espírito Santo. Originalmente, ele fora implantado com projeto do arquiteto capixaba Carlos Alberto Vivácqua Campos, nascido em Cachoeiro do Itapemirim em 1944 e falecido em 1986, autor de obras importantes no município, como a sede da prefeitura e a Câmara dos Vereadores.

O parque está localizado na avenida Dário Lourenço de Souza, que percorre parte da margem do rio Santa Maria, por vezes confundido com a baía de Vitória. Do outro lado, seu limite é a orla fluvial, e ele finda na alça viária próxima do terminal rodoviário, cujo nome homenageia Vivácqua, o que mais uma vez aproxima o parque projetado por Francisco Spadoni e Tiago Andrade do colega de profissão. Com mais de 53 mil metros quadrados de área, o novo Tancredão, como é conhecido, fica aberto das 6 às 22 h - um equipamento de uso público sob controle, define Spadoni. Sua principal construção é o ginásio de esportes, que acomoda mais de 1,7 mil pessoas e pode receber também apresentações musicais. O parque possui pista de skate, ciclovia, piscinas, quadras esportivas, campos de futebol de areia e society, garagem de barcos, estacionamento e refeitório que atende aos seus funcionários.

Implantada com pequenas alterações, mas mantida em sua essência, a solução proposta tinha a ambição de suprir as necessidades de lazer, esporte e ócio da população e ainda contribuir com o patrimônio público da cidade. Urbanisticamente, o projeto fraciona o terreno em duas áreas dominantes: uma delas concentra os locais de lazer e recreação (por isso mesmo com características mais comumente associadas às de um parque); a outra agrupa as massas edificadas, onde estão posicionados equipamentos e prédios para esportes.

A espacialidade e o desenho do ginásio são aspectos destacados por Spadoni, confirmando que se trata de uma solução em que interagem o urbanista e o arquiteto. O parque estrutura-se como um contorno que envolve a orla, amoldando-se ao traçado da via e assimilando, ainda, a linha de alta tensão que cruza o lote. “É o lugar do ócio, próprio para a contemplação da paisagem, mas também define o desenho do território, organizando percursos, definindo áreas de sombra, espalhando manchas verdes e construindo a orla”, conceitua o memorial do projeto.

De acordo com Spadoni, a definição espacial do parque é determinada pela orientação dos campos esportivos (posicionados no quadrante norte/sul), sendo ela a norteadora do desenho complementar. Foi dessa configuração, ele explica, que surgiu a passarela, um passeio elevado que funciona como catalisador do espaço. Além de dar acesso aos principais equipamentos esportivos, a via a quatro metros do nível do solo é um ponto privilegiado para a fruição da paisagem.

Entre as construções, a maior e de mais impacto visual é o ginásio de esportes. Posicionada no limite da faixa de segurança da rede de alta tensão, a edificação de geometria precisa tem faces que parecem compostas por camadas. Sua lateral faz a conexão com a via pública, liberando a área central e a orla para o parque. O ginásio é acessado prioritariamente pela passarela e possui saídas de emergência no nível do solo. Sob suas arquibancadas está alocado todo o programa de apoio.

O tom metálico de suas fachadas estabelece um interessante contraponto com o azul do pequeno pavilhão, mais próximo da orla e igualmente fechado com telhas de aço, que abriga a garagem de barcos. A outra edificação, projetada como sede de uma academia de ginástica, também tem a forma de um pavilhão conectado à passarela, com transparências em ambas as faces mais alongadas. Sua conformação geral e o piso térreo que se assemelha a pilotis revelam a influência que a arquitetura moderna exerce nessa e em outras obras de Spadoni.


Spadoni Arquitetos Associados
Formado pela FA/Puccamp em 1984, Francisco Spadoni cursou pós-graduação na École d’Architecture de Paris Villenium e doutorado na FAU/USP. Em 1996, constituiu o escritório Spadoni Arquitetos Associados. A unidade do Centro Paula Souza no bairro paulistano da Luz (leia PROJETOdesign 404, outubro de 2013), que concebeu em conjunto com Pedro Taddei e Associados, recebeu em 2013 o prêmio de obra referencial da Associação Paulista dos Críticos de Arte. Tiago de Oliveira Andrade (FAU/Mackenzie, 2003) ingressou em Spadoni Arquitetos Associados após sua formação. Desde 2010 é sócio do escritório e coordenador técnico de projetos



Ficha Técnica

Parque Tancredo Neves
Local Vitória, ES
Data do início do projeto 2007
Data da conclusão da obra 2012
Área do terreno 52.798 m2
Área construída 7.992 m2
Arquitetura Spadoni Arquitetos Associados - Francisco Spadoni e Tiago de Oliveira Andrade (autores); Carolina Garcia, Fábio Ucella, Mayra Simone dos Santos, Paula Gouvêa e Ricardo Canton (equipe de concurso); Carolina Mina Fukumoto, Emília Falcão Motoki, Fábio Ucella, Fernanda Maeda, Luciano Magno, Miguel Muralha, Nerino Caldo Júnior, Ricardo Canton e Sabrina Chibani (equipe de projeto)
Estrutura MS
Fundações Solo
Instalações MBM
Acústica Daltrini Granado
Paisagismo Alexandre Spadoni Pereira
Comunicação visual Lauresto Couto Esher
Construção Ápia
Fotos Tiago de Oliveira Andrade

Fornecedores

MBP (coberturas e revestimentos metálicos)
Gail (revestimento de piscinas)
Belgo (gradis metálicos)
TechnoAço (estrutura metálica)
NeoRex (mobiliário urbano)

Texto de Adilson Melendez| Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 410
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora