Richard Meier & Partners Architects/ Raf Arquitetura: Edifício corporativo, RJ

Recato e discrição formal

Os brises brancos da fachada e a calçada que se expande à sua frente são sutilezas do projeto de Richard Meier & Partners Architects para a sede da Vinci Partners na avenida Bartolomeu Mitre, zona sul da capital fluminense. Entre as virtudes do edifício - cuja concepção teve o RAF Arquitetura como parceiro local - estão a discrição formal e a recatada elegância arquitetônica

Constituída em 2009, a Vinci Partners atua na gestão de recursos, patrimônio e assessoria financeira. No Rio de Janeiro, suas instalações ficam na avenida Bartolomeu Mitre, no Leblon, endereço também do primeiro trabalho no país do escritório de origem norte-americana Richard Meier & Partners Architects, com colaboração do RAF Arquitetura.

O projeto do Leblon Offices foi contratado pela gestora junto ao escritório americano após alguns estudos que, desenvolvidos pelo parceiro local, acabaram não prosperando. Mesmo com o encargo atribuído à empresa de Meier, o RAF continuou no empreendimento, atuando tanto nas particularidades da legislação brasileira, da tecnologia construtiva e dos materiais utilizados, quanto no desenvolvimento dos projetos executivo e de interiores da sede da Vinci.

No Leblon, o custo dos (escassos) terrenos é dos mais altos do país, fato que induz à ocupação plena dos lotes, mesmo com as várias restrições de gabarito - os prédios não podem ultrapassar 25 metros por se tratar de uma Área de Proteção do Ambiente Cultural (Apac).

A solução idealizada pela equipe de Meier ocupa - como a legislação permite - a totalidade do terreno nos limites laterais. Mostra, porém, certa gentileza com o urbano, ao recuar a construção da testada do lote e expandir, dessa forma, o espaço público (calçada) para o interior do terreno.

De pequena escala (no total são dez pavimentos, três dos quais em subsolo), o edifício possui planta retangular, com a fachada principal caracterizada por brises metálicos horizontais brancos (elemento recorrente nos trabalhos do autor), que protegem o prédio da insolação oeste.

O projeto, que foi acompanhado no Brasil por Bernhard Karpf, associado de Meier, destinou o fundo do lote à circulação vertical e ocupou as laterais das escadas, elevadores e bateria de sanitários com o elemento que, na parte interna, é o grande protagonista.

Flávio Kelner, um dos sócios do RAF, conta que para iluminar os andares de trabalho com luz natural (além daquela filtrada pelos brises da fachada principal), Meier criou um pátio interno nas laterais do core. “Ele possui paredes verdes que alcançam quase 20 metros de altura”, informa Kelner, acrescentando terem sido empregadas espécies distintas, já que a quantidade de luz recebida pela parte superior é maior que a inferior. Resultado da polinização natural, atualmente há certa mistura das plantas.

Outro elemento marcante no Leblon Offices é a empena de concreto aparente que, externa à caixa dos elevadores/escada, revela as marcas das formas. Na distribuição do programa, o projeto concentrou no segundo pavimento as salas para reuniões com o público externo, enquanto nos demais andares a porção frontal do pavimento é destinada às equipes e as salas de reunião e copa/cozinha se voltam para o pátio dos fundos.

No projeto de interiores, a equipe do RAF mobiliou de forma comedida as áreas comuns, ocupando‑as com móveis de design brasileiro. Embora utilizem posições individuais, os funcionários da gestora trabalham em estações coletivas, também brancas, como a arquitetura.

ENTREVISTA COM BERNHARD KARPF, SÓCIO DO ESCRITÓRIO RICHARD MEIER & PARTNERS ARCHITECTS

Qual é a qualidade da interação do Leblon Office com escala do entorno?

O edifício se ajusta à escala do entorno, embora sua fachada se articule com a avenida Bartolomeu Mitre através de uma malha mais abstrata do que a de seus vizinhos tradicionais. A combinação do vidro transparente com a tela de brises de alumínio tanto respeita o detalhe quanto a materialidade das testadas da rua.

Nesse sentido, o que caracteriza o detalhamento da fachada?

A fachada é desenhada em três camadas distintas: a estrutura das colunas por trás do fechamento de vidro, a caixa transparente com janelas fixas e móveis, e a tela de brises de alumínio que, filtrando a luz natural e modulando a privacidade dos interiores, gera proteção solar.

O prédio é como uma caixa branca transpassada por luz natural. Que papel a luz do dia desempenha nos interiores?

Apesar das limitações de gabarito do local, o design explora dois tipos de exposição dos espaços de trabalho à luz: a primeira através da face ao longo da rua e a segunda por meio da criação de pátios internos. Em vez de construir todo o volume edificável, garante-se ar e luz natural no centro do lote. O conceito arquitetônico, assim, é o da maximização da incidência da luz do dia nos pavimentos. Além de privilegiar os benefícios psicológicos para o trabalho nos escritórios, isso minimiza os consumos de energia e de recursos não reutilizáveis.

  
Richard Meier se formou pela Universidade de Cornell e abriu seu escritório em 1963. Recebeu o prêmio Pritzker em 1984. Com unidades no RJ e SP, o RAF Arquitetura tem como sócios os arquitetos Rodrigo Sambaquy, Aníbal Sabrosa, Flávio Kelner, Henri Medalla, Cynthia Kalichsztein e Guilherme Carvalho.



Ficha Técnica

LEBLON OFFICES
Local Rio de Janeiro, RJ
Data do início do projeto 2012
Data da conclusão da obra 2016
Área do terreno 900,00 m2
Área construída 7.000,00 m2

Arquitetura Richard Meier & Partners Architects (autor); RAF Arquitetura (arquitetura local) - Rodrigo Sambaquy, Aníbal Sabrosa, Flávio Kelner, Henri Medalla, Guilherme Carvalho (responsáveis); Isabela Paiva, Roberta Fraga, Rodrigo Scorcelli, Daniela Grave (equipe) Interiores RAF Arquitetura; Guilherme Milanez (responsável); Yuri Goldgaber, Anna Paula Rebelo (equipe)
Construção Santa Isabel, AW Construção, Baggio e Carvalho
Gerenciamento Classe A
Paisagismo Quadro Vivo
Luminotécnica LD Studio
Acústica Traço Verde
Estrutura Projest
Fundações Bruno Contarini
Instalações prediais Cemope
Ar condicionado DW Engenharia
Automação predial Bosco e Associados
Leed Casa do Futuro
Fotos Roland Halbe e LMartins Fotografia

Fornecedores

Esquadrias e brises Tecnofeal
Carpetes Interface
Cortinas e persianas Neo Design
Divisórias Abatex
Elevadores Otis
Estrutura metálica Dix, M3
Forros Owa
Impermeabilização GTI Projeto, IMM
Luminárias Lumini, Artemidi, Iguzzini
Mobiliário corporativo Knoll, Vitra, Herman Miller
Mobiliário estar Studio Zanini
Marcenaria Mallc
Ventilação/ar condicionado Ambient Air

Texto de | Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 432
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora