Obra Arquitetos: Residência, São José dos Campos, SP

À moda da escola paulista

Volumes puros encaixados no terreno, em concreto e vidro, definem o partido dessa residência em condomínio de São José dos Campos, município paulista da região do Vale do Paraíba, a cerca de cem quilômetros da capital. Encomendado por um casal sem filhos, o projeto de autoria do escritório Obra Arquitetos reflete tanto a cultura e o modo de vida dos proprietários como a interpretação dos autores - João Paulo Daolio e Thiago Natal Duarte - da singular morfologia do terreno

Mais que observar, auscultar a topografia e a partir dela elaborar o desenho de forma que as edificações amoldem-se ao relevo natural, é uma característica impregnada no raciocínio de projeto dos sócios do Obra Arquitetos. As residências que João Paulo Daolio e Thiago Natal Duarte elaboraram para o Urbanova - complexo de condomínios de alto padrão em São José dos Campos, SP, que começou a se estruturar na metade dos anos 1970 - são exemplos dessa abordagem. A recusa em interferir de forma radical no terreno já havia sido mostrada quando eles venceram, em 2007, três anos depois de formados, o concurso para a sede (não construída) da Associação dos Engenheiros e Arquitetos daquele município.

Formados pela FAU/USP, Daolio e Duarte já eram colegas em São José dos Campos antes de ingressarem naquela escola. Logo ao saírem da faculdade, então, eles constituíram o escritório Obra Arquitetos. Uma pequena casa construída para venda (a residência São Rafael), em um bairro periférico de São José dos Campos, foi um dos primeiros passos (e projetos) de Daolio na profissão - um veículo familiar foi vendido para levantar o capital necessário ao empreendimento.

A experiência se repetiu em 2010, dessa vez no Residencial Jaguary, um dos condomínios do Urbanova, com a residência Floradas. Nesse caso, já houve o engajamento de Duarte no projeto. Depois de ter ficado à venda por cerca de dois anos, o imóvel acabou sendo adquirido pela irmã de Daolio.

Além da Florada, outra residência por eles projetada no Jaguary (a LLM) tornou-se ponte para que os futuros proprietários da Lens, que apresentamos nesta matéria, se aproximassem dos arquitetos. O nome da casa é uma sutileza que brinca com as iniciais do casal e a cidade onde está a mais recente unidade do Museu do Louvre, icônico edifício projetado pelo escritório japonês Sanaa (PROJETO 397, de março de 2013). Antes de decidirem construir, o casal cogitou comprar a Floradas e consultaram os proprietários da LLM para saberem quem projetara a moradia, relata Daolio.

A arquitetura da LLM ia ao encontro das expectativas dos clientes com relação à futura moradia. Entraram, então, em conjunção os fatores que levaram o casal a acionar os arquitetos para desenvolver um projeto para o lote que ficava relativamente próximo ao da LLM. Ao contrário do terreno em declive desta, porém, o da Lens está em aclive.

Daolio e Duarte desenharam para o local uma edificação com blocos bem definidos e acomodados nas diferentes cotas do terreno, que, por sua vez, são interligadas por escadas - um pátio/jardim interno é o elemento que, no pavimento superior, faz a articulação entre a área social e cozinha com o dormitório do casal, em cota ligeiramente superior.

Na casa, o desenho de linhas puras que estava presente em outros projetos do Obra adquiriu forma através de dois materiais básicos: concreto aparente e vidro. No pavimento superior, a vedação envidraçada e curva voltada para o pátio/jardim “aproxima” o verde do interior da moradia.

Ainda que os arquitetos classifiquem a residência como introspectiva (e de certa maneira eles têm razão, uma vez que os blocos voltam-se para o vazio interno), desde a área social com ampla abertura envidraçada, protegida por um brise metálico e móvel, é possível observar no horizonte a paisagem da Serra da Mantiqueira e, nas imediações, uma parte de um lago vizinho. A visão se torna praticamente panorâmica (e amplia-se para as laterais) no terraço existente no teto-jardim da suíte.

Além do projeto, os arquitetos também desenharam alguns dos móveis da residência. Porém, embora venham desempenhando essa atividade com frequência, Daolio e Duarte não se intitulam designers. Preferem ser considerados arquitetos, que desenham mobiliário. 

 
João Paulo Daolio e Thiago Natal Duarte se formaram pela FAU/USP em 2004, ano em que constituíram o Obra Arquitetos. A sede do estúdio fica no prédio do IAB/SP, no espaço onde funcionou o escritório de João Batista Vilanova Artigas. Os arquitetos têm se dedicado também ao desenvolvimento de peças de mobiliário através do estúdio Moble Arquitetura de Móveis.



Ficha Técnica

CASA LENS
Local São José dos Campos, SP
Área do terreno 450 m2
Área construída 202 m2

Arquitetura, paisagismo e iluminação Obra Arquitetos - João Paulo Daolio e Thiago Natal Duarte (autores)
Estrutura e fundações RF Engenharia
Construção Truzzi Engenharia (Cícero Truzzi e Antonio Augusto Truzzi)
Fotos Nelson Kon

 

Fornecedores

Móveis planejados France Decor
Caixilhos Serralheria Menegatti
Móveis Moble
Basalto Mineração Pratense
Plantas Montanha 

 

 

Texto de Adilson Melendez| Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 433
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora