GCP Arquitetura e Urbanismo: Hotel, Maraú, BA

No litoral baiano, com roedor, cacto e tucano

A paradisíaca praia dos Algodões, na península de Maraú, região sul do estado da Bahia, é o cenário do Votu Hotel, empreendimento projetado pelo escritório GCP Arquitetura e Urbanismo ancorado em conceitos da biomimética. No projeto, a equipe do estúdio recorreu a esta prática para mitigar as altas temperaturas características da região e também no desenho dos fechamentos das edificações

Santuário ecológico é um dos adjetivos [quase clichê] aplicados à península de Maraú, na região Nordeste do Brasil. Aquele pedaço do estado da Bahia apresenta ampla variedade de ecossistemas costeiros constituídos por rios, piscinas naturais e estuários, pelo oceano - com belíssimas praias, restingas, recifes e formação de mangues -, além das abundantes flora e fauna da mata atlântica. É para uma dessas praias - a de Algodões - que o escritório paulistano GCP foi contratado para projetar o Votu (palavra que, em tupi-guarani, significa vento), um compacto hotel com oito suítes, prédio de apoio náutico, restaurante e área de convivência.

Mestranda em ciência biomimética pela Arizona State University, a bióloga Alessandra Araújo - que, desde 2004, é sócia do estúdio fundado pelo arquiteto Sérgio Coelho - assumiu a responsabilidade de treinar e orientar a equipe para que o projeto estivesse fundamentado nestes conceitos.

O termo, biomimética - ainda não incorporado aos dicionários brasileiros -, é utilizado para definir o segmento da ciência que tem como objetivo estudar estruturas biológicas e suas funções, procurando aprender com a natureza e, depois, utilizar esse conhecimento em diferentes domínios.

No caso do Votu, o GCP trabalhou com uma biodiversidade que combina mar, bancada de coral, floresta de mata atlântica, lagoas e manguezal. Liderados por Alessandra, os participantes do projeto concluíram que, para amenizar as altas temperaturas, respeitar o índice pluviométrico e resistir à salinidade da região, deveriam, na questão térmica, emular o comportamento do cão de pradaria. Proveniente da América do Norte, ele “reside” em um sistema de túneis subterrâneos nos quais há espaços para entrada e saída de ar, semelhante à configuração adotada para ventilar as suítes.

Já nos fechamentos, a opção foi simular a capacidade que algumas espécies de cactos possuem de formar a própria sombra - o envelopamento dos chalés, com lâminas de madeira, replica de certa maneira essa capacidade da planta. E foi a observação do bico do tucano - pássaro típico das terras brasileiras - que levou a equipe a cobrir a cozinha com uma laje jardim. “As soluções com biomimética nortearam o partido arquitetônico, para as suítes, fechamentos dos prédios, e coberturas eficientes”, sintetiza o escritório em texto descritivo.

Afastar as construções do solo foi uma das decisões decorrentes dessa análise, em razão da intensidade das chuvas na região. Em conjunto, tais estratégias inovadoras permitem que os espaços sejam mais agradáveis, evitando o uso excessivo de energia com climatização, acrescenta Alessandra.

 

GCP Arquitetura e Urbanismo
Fundado em 1997, o GCP Arquitetura e Urbanismo tem como sócios o arquiteto Sérgio Coelho [FAU/USP 1996] e a bióloga Alessandra Araújo. O viés da biomimética incorporado à arquitetura é uma das contribuições da bióloga aos projetos do estúdio



Ficha Técnica

Votu Hotel
Local Maraú, BA
Data do início do projeto 2016
Área do terreno 6.250 m²
Área construída 1.603 m²

Arquitetura, interiores e paisagismo GCP Arquitetura & Urbanismo - Alessandra Araujo, Daniel Mariano, Felipe Lima, Gabriela Garcia, Gabriela Haddad e Sérgio Coelho (equipe) Imagens Ricardo Canton

 

Texto de Adilson Melendez| Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 435
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora