Esquadra|Yi: Residência, Brasília

Sem muro e permeável

É no posicionamento lateral e no manejo da cota de implantação que reside a relação amistosa da casa desenhada pelos arquitetos Filipe Monte Serrat, Manuela Dantas e Camilo de Lannoy com a rua. Localizado em condomínio fechado, o projeto atendeu à demanda dos moradores para que se evitasse o quintal isolado no fundo do lote, substituindo-o por um espaço de fácil acesso em toda a extensão da moradia.

Transposta a Juscelino Kubitschek, icônica ponte que cruza a parte sul do lago Paranoá, em Brasília, é preciso ainda percorrer cerca de cinco quilômetros da estrada Parque do Contorno (EPCT) para chegar ao condomínio Jardins do Lago Quadra 1, no setor habitacional do Jardim Botânico. Idealizado pela Valois Empreendimentos, que diz ter sido responsável pelo primeiro loteamento naquela área da cidade, o conjunto é fiel ao modelo que prospera no mercado imobiliário das grandes e médias cidades, tendo como um de seus principais apelos a segurança.

Em Brasília, esses loteamentos têm se estruturado fora dos limites do Plano Piloto. É sobretudo neles que os profissionais da capital federal têm tido a oportunidade de colocar em prática suas concepções e experimentações no programa residências, as quais PROJETOdesign vem registrando nos últimos anos. A casa que Filipe Monte Serrat, Manuela Dantas e Camilo de Lannoy desenharam para um dos terrenos do Jardins do Lago Quadra 1 amolda-se a esse perfil.

Monte Serrat observa que, em geral, esses empreendimentos privam seus moradores das inter-relações mais presentes na cidade tradicional. Contraditoriamente, complementa, é neles que o arquiteto pode, por exemplo, abrir mão dos cercamentos frontais, “seja pela obrigatoriedade imposta pelo regimento do condomínio, seja pela sensação de segurança percebida pelos moradores”. E foi a “integração da casa com a rua que ofereceu diretrizes estruturantes ao desenho”, ele explica.

A residência de partido simples e fácil leitura foi implantada de modo que, além do melhor aproveitamento do lote, tivesse a posição mais adequada quanto à insolação. A concentração da massa edificada numa das laterais do terreno atendeu à demanda do cliente, que pretendia contar com um espaço verde visível e acessível ao longo da extensão da casa, em vez de ficar restrito a um quintal nos fundos.

O programa foi distribuído nos dois pavimentos da planta de conformação retangular, na qual o andar superior recebeu as áreas íntimas e o térreo reúne os espaços de convívio e de serviços. Externamente, enquanto a lateral sul da edificação, voltada para a piscina, é altamente permeável, a empena norte é um grande muro e não apenas fechamento, destaca Monte Serrat. “É um elemento de proteção dos diferentes cômodos do caminho do sol e do poente, liberando a fachada sul, mais aberta, quase como pilotis”, argumenta.

A circulação que conecta todos os ambientes do piso inferior ocupa posição junto da face norte. A sequência de ambientes segue a modulação estrutural de 5,2 metros que definiu as áreas sociais e de serviço no térreo e os espaços íntimos no andar superior. A garagem semienterrada, no limite com a rua, possibilitou criar na cobertura um terraço que marca a interseção entre o lugar público e o privado e oferece tranquilidade para o banho de piscina. “Um pergolado metálico proporciona a sombra para a varanda da piscina e para as conversas de fim de tarde no terraço da garagem”, detalha o autor.


Esquadra|Yi
Filipe Monte Serrat e Manuela Dantas (FAU/UnB, 2004) são sócios no escritório Esquadra Arquitetos e integram a atual diretoria do IAB/DF. Formado pela FAU/UnB em 1996 e mestre pela mesma escola, Camilo de Lannoy é titular do Yi Gestão de Projetos e Obras. Os escritórios atuam em parceria desde 2011 desenvolvendo projetos comerciais, residenciais e institucionais, além de administrarem as obras dos projetos de sua autoria



Ficha Técnica

Residência unifamiliar
Local Brasília, DF
Data do início do projeto 2011
Data da conclusão da obra 2013
Área do terreno 700 m²
Área construída 400 m²
Arquitetura, interiores e luminotécnica Filipe Monte Serrat, Manuela Dantas e Camilo de Lannoy (autores); Paulo Cavalcante, Giselle Medeiros, Silvana Moraes, Carolina
Dumay e Guilherme Collevatti (equipe)
Estrutura e instalações Arrivare
Construção Arrivare e Construtora Nacional
Administração de obra Esquadra|Yi
Fotos Joana França

Fornecedores

Biancogres (revestimentos)
Marmoraria Real (mármores e granitos)
Pré-Moldados Brasil (cobogós)
Mais Vidros (esquadrias de vidro)
CRS (esquadrias de alumínio)
Serralheria L.SAM (estrutura metálica e guarda-corpos)
Pontual Móveis (marcenaria e portas de madeira)
Lampen (luminárias)

Texto de Adilson Melendez| Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 410
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora