Case

Aço protagoniza ampliação de aeroporto

O Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins (MG), passou por reforma e ampliação com autoria do escritório paulistano Bacco Arquitetos Associados, que utilizou aço nas novas estruturas para garantir ao projeto benefícios como velocidade e flexibilidade

Com 51 mil metros quadrados de área, o novo Terminal de Passageiros (TPS2) do Aeroporto Internacional de Belo Horizonte é caracterizado por sua estrutura totalmente em aço. São, ao todo, 4,8 mil toneladas do material em pilares, vigas, lajes e coberturas. A edificação com mais de 600 metros de comprimento foi integrada por meio de uma cobertura metálica ao antigo terminal de concreto, que passou por cuidadosa reforma para manter as características originais do projeto do arquiteto Milton Ramos.

“A ligação entre o TPS1 e o TPS2 se fez por meio da grande cobertura do novo saguão de check-in, que, num plano elevado ao terminal existente, se projeta respeitosamente sobre este, fazendo a passagem entre o novo e o velho, o contemporâneo e o moderno”, explica Marcelo Barbosa, titular do Bacco Arquitetos Associados. Esse elemento é formado por telhas de aço zipadas e possui isolamento termoacústico.

Com a expansão, o complexo aeroportuário inaugurado em 2016 ficou com cerca de 130 mil metros quadrados de área e mais de 1 quilômetro de extensão, além de ter ganhado 17 novas pontes de embarque (antes, eram apenas nove). O objetivo é que o empreendimento, apto a novas intervenções, tenha capacidade de receber aproximadamente 22 milhões de usuários por ano até 2023.

Acessado a partir de uma escada monumental, elevadores e uma passarela metálica, o TPS2 conta com perfis soldados de aço estrutural com LE=350 MPa e laminados ASTM A572 GR50 nos pilares, vigas, escadas e estruturas da fachada, além de formas metálicas do tipo steel deck nas lajes de piso, que, segundo o arquiteto, permitiu execução extremamente rápida e limpa, uma vez que a solução dispensa a necessidade de escoramentos e armaduras.

Barbosa ressalta que a escolha por sistemas industrializados aumentou a rapidez de execução da obra, permitindo cumprir os prazos estabelecidos pelo cliente, e garantiu excelente controle de qualidade. Por serem pré-fabricadas, as peças podem ser instaladas com facilidade e segurança (foram içadas com o auxílio de guindastes e fixadas por meio de parafusos) e exigem pouca mão-de-obra. Ao todo, a obra teve duração de um ano e a montagem da estrutura metálica aconteceu em fases, permitindo ações simultâneas.

Além de excelente custo-benefício, o aço tem flexibilidade para se integrar aos mais variados materiais e, por isso, é muito utilizado em retrofits e ampliações. Neste projeto, garantiu ainda a menor intervenção possível nas áreas existentes do aeroporto, como a de circulação das aeronaves e demais vias operacionais.

O uso do material também permitiu vãos maiores e redução da altura das vigas e do número de pilares. O novo edifício, com pé-direito de 9,5 metros e estruturas em aço que vencem vãos de até 30 metros, encontra-se apoiado sobre pilares circulares metálicos e balanços laterais que contrabalanceiam o vão principal.

FICHA TÉCNICA
Local Confins, MG
Data do projeto 2014-2016
Conclusão da obra 2016 
Área construída 77 mil m² no Terminal 1 e 51 mil m² no Terminal 2
Projeto arquitetônico Bacco Arquitetos Associados
Aço empregado perfis soldados e chapas de aço estrutural com LE=350 MPa, perfis laminados ASTM A572 GR50 e cantoneiras ASTM A36
Volume de aço 4.800 t
Projeto estrutural Grupo 2 Engenharia e Codeme Engenharia
Fornecimento da estrutura de aço Codeme Engenharia
Execução da obra Dan-Hebert

 

www.cbca-acobrasil.org.br

Texto de | Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 438
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora