Boa Arquitetura: Casa HML, São João do Polêsine, RS

Concreto protetor

Em meio à paisagem natural composta por vales e montanhas da serra gaúcha, surge uma residência que, com faces formalmente distintas entre si, interage com a região do distrito de Recanto Maestro

A visão de uma parede curva, percorrendo a topografia original, aparece como ponto de referência - um espesso plano de concreto branco. A opção pelo uso do material partiu, segundo o arquiteto Rafael Lorentz, do escritório BÁ - Boa Arquitetura, responsável pelo projeto da casa HLM, de uma resposta intuitiva às condições do terreno: para contrastar com o contexto, “optamos por uma materialidade radical, capaz de emergir na paisagem com a mesma autenticidade desta, como se sempre tivesse pertencido àquele lugar”, explica o autor.

O concreto foi moldado in loco, mantendo aparentes as marcas de sua execução, e as paredes foram feitas com uma camada central de isopor de 12 centímetros, entre 7,5 centímetros do material de cada lado - solução adotada para melhorar o desempenho térmico da moradia, evitando o superaquecimento da estrutura.

A grande quantidade de desníveis e rupturas superficiais do lote demandaram o estabelecimento de uma parede curva que, além de corresponder à topografia, “atua como barreira, posicionada que está na porção sudoeste do terreno, onde a abertura para o vale canaliza as chuvas e o vento frio”, revela Lorentz.

Dessa forma, explica o arquiteto, o desenho do concreto cria uma espécie de espaço protegido, onde se encaixam os ambientes internos da casa. São duas alas principais, quarto e sala de estar, divididas por um núcleo de serviços.

Grandes esquadrias foram pensadas para permitir maior interação com a paisagem, o que se traduz em amplos planos envidraçados, que oferecem vista do vale a leste. Já na porção norte da casa, um prolongamento da varanda e da área social utiliza uma pérgola de concreto - que funciona como garagem - para criar uma zona intermediária, entre interior e exterior, protegida da insolação direta.

A cobertura verde da residência cumpre duas funções: a primeira é criar um espaço de convívio externo no topo da casa, formando um mirante com vista panorâmica e acessível por meio de uma escada metálica helicoidal; e a segunda é melhorar o condicionamento térmico da construção, adotando-se “solução que cria um colchão d’água de 18 centímetros sob a grama, constante ao longo do ano, que aumenta a inércia térmica da edificação”, conclui Lorentz.


Rafael Lorentz é arquiteto e urbanista (graduado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul) e desde 2014 dirige o escritório BÁ - Boa Arquitetura, com base em Porto Alegre



Ficha Técnica

CASA HLM
Local
São João do Polêsine, RS
Data do início do projeto 2012
Data da conclusão da obra 2015
Área do terreno 1,8 ha
Área construída 196 m²

Arquitetura e interiores BÁ - Boa Arquitetura - Rafael Lorentz (autor)
Projeto estrutural L2
Construtora ICM - Ivo Malmann (engenheiro responsável)
Fotos Marcelo Donadussi

Fornecedores

Cobertura verde Ecotelhado
Esquadrias Rehau
Piso e forro Barbieri
Marcenaria Abitare
Mármores e granitos Marmogran
Equipamentos sanitários Laufen

Texto de Gabriela Nunes| Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 431
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora