AMZ Arquitetos: Residência, São Paulo

Casa e marquise
agrupadas em L

Ao pé da letra trata-se de uma reforma. No entanto, a intervenção realizada em uma antiga casa no Alto de Pinheiros, zona oeste da capital paulista, foi de tal maneira profunda e bem-sucedida que é mais correto considerá-la uma nova moradia. “Mantivemos a implantação em L”, resume o arquiteto Pablo Alvarenga. Junto a Manoel Maia e Adriana Zampieri, seus sócios no AMZ Arquitetos, a equipe é autora do projeto que tem uma marquise/ varanda como um de seus principais elementos

Além de terem se formado no mesmo ano (em 2005, porém em universidades distintas: Pablo Alvarenga, pela FAU/USP, Manoel Maia e Adriana Zampieri, pela FAU/Mackenzie) os sócios do escritório paulistano AMZ Arquitetos têm em seus currículos outro ponto em comum: todos trabalharam no escritório de Isay Weinfeld. Essa experiência é uma pista para compreender certos pontos do projeto (como os traços puros, os generosos espaços e a intensa permeabilidade), que o trio idealizou para uma residência no Alto de Pinheiros, bairro situado na região oeste da capital paulista.

No terreno, localizado nas imediações da praça Panamericana, existia uma outra residência, térrea, que ocupava boa parte do lote. Havia a orientação para aproveitá-la, explica Alvarenga, mas seu estado de conservação ruim, além da existência de ambientes escuros e planta excessivamente recortada, levou os autores a aproveitarem pouco do imóvel existente. De acordo com o arquiteto, da casa antiga apenas algumas lajes foram preservadas. Em tese, poderia até afirmar-se que se trata de uma reforma. No entanto, as intervenções modificaram tão profundamente o partido anterior que, mais justo, é considerá-la como nova casa. Na avaliação dos arquitetos, se havia virtudes na edificação antiga, a principal era a forma como a casa fora disposta no terreno, na forma de um L.

Dessa maneira, os sócios do AMZ decidiram que a implantação original seria mantida, preservando‑se também o destaque para as palmeiras. O L protegia o vazio do lote e o projeto não só o manteve como o ampliou através de uma marquise/ varanda que envolve a face da residência voltada para o interior do terreno. “A ideia era fazer uma grande marquise térrea, abrindo entradas de luz e voltando os ambientes o máximo possível para as áreas de jardim”, detalha Alvarenga.

Para dar forma à marquise/varanda (que, em alguns trechos é o prolongamento da laje pré-existente), os arquitetos recorreram a uma estrutura leve, de vigas e pilares metálicos, cobrindo-a com uma manta termoplástica. Aberturas deixam espaço para a entrada da luz natural através de iluminação zenital e claraboia. Nos planos verticais, o projeto trabalhou com grandes superfícies envidraçadas, que também são protegidas da chuva pela marquise. A maior parte desses painéis pode ser recolhida, tornando a residência uma extensa marquise/varanda. Dessa forma, a circulação/transição pelos ambientes sociais é possível também pela área externa.

Outro elemento importante na composição plástica é a vedação das áreas de serviços e dos ambientes que requerem proteção. Ela foi feita com painéis metálicos na forma de elementos vazados, peças que também foram desenhadas pela equipe do AMZ. “Eles vedam e filtram um pouco a luz onde se quer um pouco mais de privacidade”, explica Alvarenga. “O trajeto pela casa também é marcado pelas pequenas surpresas, como as descobertas do pátio d’agua, do jardim de luz e, por fim, da praça central da casa”, conclui o arquiteto.

  

AMZ arquitetos
Pablo Alvarenga (FAU/USP, 2005), Manoel Maia (FAU/Mackenzie, 2005) e Adriana Zampieri (FAU/Mackenzie, 2005) são sócios no escritório AMZ Arquitetos, que constituíram em 2009. Alvarenga trabalhou em Paris, no Ateliê Jean Nouvel. Maia, que foi colaborador dos escritórios de Andre Vainer e Guilherme Paoliello, obteve premiações nos concursos do Centro Cultural de Araras e do Museu da Tolerância. Adriana também trabalhou com Vainer e Paoliello e foi premiada na competição de Araras



Ficha Técnica

Casa Alto de Pinheiros
Local São Paulo, SP
Data do início projeto 2014
Data da conclusão da obra 2016
Área do terreno 1130 m²
Área construída 415 m²

Arquitetura AMZ Arquitetos - Pablo Alvarenga, Manoel Maia, Adriana Zampieri, Gabriel Rochetti, Carolina Calmon
Interiores Marina Linhares
Paisagismo Rodrigo Oliveira
Luminotécnica LDArti
Estrutura e fundações Ney Constantini
Elétrica e hidráulica Zamaro
Ar condicionado Arcoserv 
Construção DMR Engenharia
Fotos Maíra Acayaba 

Fornecedores

Brises ArtSteel
Cobertura Alwitra
Cozinhas Elgin
Domos Avec
Esquadrias S.Naldi
Pedras Bellas Artes
Pisos Pau-Pau
Portas Plancus

Texto de Adilson Melendez| Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 437
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora