Telhado do Museu da Língua Portuguesa é restaurado após incêndio

Madeira e metal são os materiais que estruturam o novo telhado do Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo


Estação da Luz e Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo (Foto: reprodução / Rodrigo Soldon, via Flickr)

A instalação do novo telhado do Museu da Língua Portuguesa, espaço expositivo localizado no interior da histórica Estação da Luz, no centro de São Paulo, foi concluída no dia 18 de julho. A atual cobertura pesa 4 toneladas e possui estrutura composta por madeira – certificada e retirada da Amazônia - e zinco trazido do Peru.

O motivo da reforma foi o incêndio ocorrido em dezembro de 2015 - na ocasião, o museu estava fechado para manutenção e restrito aos funcionários. O fogo teria iniciado na troca do sistema de iluminação e rapidamente se alastrado, comprometendo não somente a cobertura, mas também o interior e as fachadas do museu. Após o ocorrido, o espaço permaneceu interditado e os novos planejamentos começaram a ser elaborados para reparo dos danos.

No processo de reconstrução do telhado, uma faixa da rua da Estação da Luz foi interditada para o içamento da estrutura por guindaste. Além disso, com o intuito de viabilizar a obra, ficou previsto que toda a cobertura (6 x 2,5 metros) deveria ser montada in loco. Ao todo, o telhado levou quase dois meses para ficar pronto.

O projeto de restauro, cujo investimento é de cerca de R$ 60 milhões - parte paga pelo seguro contra incêndio, e parte captada por meio da Lei Rouanet - também prevê algumas alterações que garantirão ao novo museu a atualização conforme as mais recentes normas de segurança e fará menção ao evento que o destruiu parcialmente, de forma semelhante ao projeto de restauro do Auditório Simón Bolívar, localizado no Memorial da América Latina em São Paulo.

Além da cobertura, já foram concluídas as fachadas e a ala oeste do museu. O início das obras do interior do edifício estão previstas para setembro deste ano e os planos de conclusão de todo o restauro, bem como a reabertura para o público, apontam para o segundo semestre de 2019.

Com informações do Estadão e do G1.

Publicada originalmente em ARCOweb em 24 de Julho de 2018
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora