Inaugurada nova casa Uniflex em obra de Mendes da Rocha

O prédio do renomado arquiteto brasileiro, construído em 1987, recebeu intervenções para abrigar a nova unidade da Uniflex


Entrada da loja Forma no projeto original de Paulo Mendes da Rocha (Foto: reprodução - Catview.com.br)
No dia 4 de janeiro de 2019, segunda-feira, um evento de inauguração abriu as portas da nova unidade da marca Uniflex, na zona oeste da cidade de São Paulo, que passou a ocupar um dos icônicos projetos de Paulo Mendes da Rocha: a loja Forma. A intervenção proposta ficou a cargo da equipe do escritório paulistano Estúdio Tupi, liderado pelos arquitetos Andrea Bazarian, Aldo Urbinati e Rafael Ayres.

O prédio, construído em 1987, deveria ser transformado com cautela – em respeito à obra original de Mendes da Rocha – para receber os produtos da nova marca e de seus fornecedores: “Decidimos que seríamos corajosos e faríamos o projeto como um desafio. Usamos como uma oportunidade para pensar arquitetura”, contou Andrea Bazarian. “Fomos chamados a criar um espaço para todos os fornecedores que estão aqui dentro, o que foi uma dificuldade imensa, porque são muitos. Criar uma leitura única como essa não foi simples”, contina.

Com a intenção de pontuar as intervenções, destacar o pré-existente e uniformizar o mostruário dos produtos, o escritório optou pelo uso de uma simples paleta de cores: vermelho, branco e cinza, respectivamente: “Tentamos criar uma linguagem clara do que seria nossa interferência e manter, com respeito, tudo o que era dele [Paulo Mendes da Rocha]. Os móveis, as cortinas, os forros, tudo que está à venda é cinza, para unificar a paleta de cor – a não ser o mostruário da vitrine, que é colorido. Então se tornou simples: branco é do Paulo Mendes da Rocha, vermelho é do Estúdio Tupi, e cinza é mostruário”, destacou Bazarian.

A reflexão para propor as mudanças em um projeto singular de Paulo Mendes da Rocha foi um trabalho essencial e desafiador desenvolvido pela equipe: “Foi uma honra termos sido convidados para dialogar com a obra de Paulo Mendes da Rocha, justamente, por este prédio ser fruto de um momento de mudanças na obra do Paulo, do concreto para o concreto armado junto à estrutura metálica. Isso faz da obra algo muito especial. O tamanho, o programa de necessidades – que, na época, por ser uma loja de móveis, ofertava quase programa nenhum. (...) Por isso, sempre vi o projeto como um ensaio, um pequeno conto que poderia escrever toda a história da arquitetura em um único prédio”, contou Aldo Urbinati.

A fachada, tida como elemento mais chamativo e delicado do projeto, recebeu um tratamento especial e foi fruto de muita reflexão e pesquisa: “Ela já tinha painéis metálicos brancos. Vimos muitos desenhos originais e, em todo momento, tínhamos a ideia de trazer o grid preto que já estava nesses primeiros desenhos. Então recuperamos essa marcação como uma memória ao mundo digital e inserimos o vermelho como um diagrama, uma legenda”, afirmou Bazarian.

“Achamos interessante trazer para a fachada – que sempre foi um outdoor e uma comunicação com a cidade – uma provocação, uma marca d’água: a fachada da igreja de São Francisco (1450), obra de Leon Battista Alberti localizada em Rimini, na Itália, na escala 1:1. Assim, passou a ser a forma absoluta de Paulo Mendes da Rocha em conjunto à forma absoluta de Alberti, em um arco histórico de mais de 500 anos de arquitetura reunidos em uma única filmagem”, complementou Urbinati.

Publicada originalmente em ARCOweb em 05 de Fevereiro de 2019
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora