IAB-RJ e CAU-RJ premiam profissionais e estudantes

Nesta última terça-feira, 18 de dezembro, o IAB-RJ divulgou o resultado da sua 56a Premiação Anual e do Prêmio Arquiteto do Amanhã, associado ao Prêmio Grandjean de Montigny, promovido pelo CAU-RJ

Perspectiva de "OVO - Ecogastronia com Origem - Uma escola em Botafogo, RJ", projeto de Thaís Lendrick Souto Alves, vencedora do Prêmio Arquiteto do Amanhã.

O Instituto de Arquitetos do Brasil, núcleo Rio de Janeiro (IAB/RJ), comunicou os vencedores da 56ª Premiação Anual nesta terça-feira, 18 de dezembro, assim como os ganhadores do 35ª Prêmio do Arquiteto do Amanhã - com o objetivo de premiar, valorizar e divulgar trabalhos profissionais, acadêmicos de recém-formados e estudantes do último ano da graduação.

Nessa edição, o Prêmio Arquiteto do Amanhã continua agregado ao Prêmio Grandjean de Montigny, promovido pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio de Janeiro (CAU-RJ).

O anúncio dos resultados referentes aos primeiros eventos se deu na tradicional Festa Anual, realizada na Casa do Arquiteto Oscar Niemeyer, sede do IAB-RJ, no Flamengo. Já o vencedor do Grande Prêmio Grandjean de Montigny 2018 foi revelado em uma cerimônia de confraternização oferecida pelo CAU-RJ no Teatro Nelson Rodrigues, no Centro da capital fluminense, marcado por homenagem a Sérgio Bernardes, que em 2019 completaria 100 anos.

Na 56ª Premiação Anual do IAB-RJ, o júri decidiu por unanimidade conceder o Grande Prêmio ao edifício Aruá, de autoria do escritório paulistano FGMF. Confira o projeto na íntegra na reportagem da revista PROJETO 443.

Entre os ganhadores, destaque ainda para o projeto da Casa Firjan da Indústria Criativa (Atelier 77), laureado na Categoria Arquitetura de Novas edificações. Veja a matéria completa aqui e confira a lista completa de categorias e vencedores.

No 35o Prêmio Arquiteto do Amanhã, categoria Arquitetura de Edificações, o laureado foi o trabalho "Ovo - Ecogastronomia com Origem - Uma escola em Botafogo, RJ", de autoria de Thais Lendrick Souto Alves, com Anna Rachel Baracho e Eduardo Julianelli (Universidade Federal Fuminense) como orientadores, projeto que saiu vencedor do Prêmio Grandjean de Montigny 2018. De acordo com a comissão julgadora desta premiação, composta pelos arquitetos e urbanista Luiz Carlos Toledo (presidente do júri), o trabalho se detém em questões de conforto ambiental e sustentabilidade, temas importantes da arquitetura contemporânea, tais como "O arranjo e o dimensionamento dos espaços, a separação de fluxos e organização dos acessos atendem de forma apropriada ao programa estabelecido”, afirmou o júri.

 

Publicada originalmente em ARCOweb em 19 de Dezembro de 2018
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora