Estudio e Meius: Edifício residencial, Belo Horizonte

Térreo residencial

O partido buscou refutar a lógica do mercado imobiliário de elaboração de apartamentos-tipo

O edifício residencial Zider está situado em um terreno de 10 metros de testada por 40 metros de comprimento - com potencial construtivo de 680 metros quadrados - no bairro Colégio Batista, uma área de classe média entre as regiões leste e nordeste de Belo Horizonte.

De acordo com os escritórios autores da proposta - Estudio Arquitetura e Meius Arquitetura (ambos da capital mineira), a edificação é uma resposta crítica de projeto à demanda de esgotar o potencial construtivo em um lote de proporções não usuais. 

Como explicam em memorial, devido ao parcelamento das grandes glebas, a maioria dos lotes na cidade possui 360 metros quadrados, sendo um retângulo de 12 metros de testada por 30 metros de comprimento.

“Se por um lado esta geometria cria uma relação desejável entre as possibilidades de projeto dentro de um lote e um número de lotes a ser abastecido – em cada rua – pela infraestrutura urbana, por outro, a existência de um sem-número de lotes com dimensões idênticas abre precedente para a repetição de tipologias de edifícios habitacionais multifamiliares, cujos projetos nem sempre possuem uma desejada qualidade arquitetônica. Dessa maneira, um lote que apresente uma variação nas dimensões citadas nem sempre é valorizado”, explicam os arquitetos.

O volume horizontal alongado recebeu oito apartamentos. As quatro unidades acessadas pelo térreo foram concebidas como estúdios de dois níveis (todas contam com área privativa). Em seguida, há um andar com duas unidades. E, nos últimos pavimentos, surgem dois apartamentos dúplex, com cobertura. 

Os autores ressaltam que a ausência de apartamentos-tipo não tornou o projeto mais oneroso financeiramente. Isso porque o edifício foi concebido em alvenaria autoportante, permitindo que as paredes dos distintos pavimentos sejam coincidentes. Além disso, os cômodos que demandam infraestrutura sanitária estão contíguos a uma das fachadas, o que permitiu a criação de prumadas de alimentação e esgotamento.

A identidade visual do prédio fica por conta do revestimento externo. O ecogranito na cor cinza claro evidencia a porção onde ficam os estúdios. Na cor grafite, o material ressalta os apartamentos de um pavimento. As empenas laterais superiores, por sua vez, receberam a cor amarelo ouro.



Ficha Técnica

Edifício residencial Zider
Local Belo Horizonte, MG
Data do início do projeto 2011
Data da conclusão da obra 2015
Área construída 1.511,48 m²

Arquitetura Estudio Arquitetura - Eduardo França, Letícia de Azevedo; Meius Arquitetura - Guilherme Rocha; Fernanda Boratto, Lorena Coscarelli (colaboradoras)
Construção F2 Construtora
Fotos Izabel Diniz

Fornecedores

Piso cimentício (Preall)
Fachadas (Ecogranito)
Louças (Deca)
Ladrilhos (Ladrimar)
Porcelanatos (Eliane)
Piso laminado (Duratex)

Publicada originalmente em ARCOweb em 09 de Janeiro de 2017
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora