ArcoWeb

Studio Ix: Luminotécnica de galeria de arte, São Paulo

Combinação de recursos flexibiliza iluminação

A segunda unidade da Galeria Marília Razuk fica a poucos metros da primeira, na mesma rua, e ocupa o primeiro pavimento e o mezanino de um galpão de linguagem industrial. O espaço para mostras, que reúne obras contemporâneas de artistas consagrados e emergentes, é valorizado pela proposta luminotécnica de Guinter Parschalk, que combinou diferentes soluções a fim de assegurar uma iluminação flexível e atender diferentes demandas expositivas.

Fichas técnicas
Fornecedores
O acesso à galeria se dá pela área com forro em gesso
O acesso à galeria se dá pela área com forro em gesso
Combinação de recursos flexibiliza iluminação
A segunda unidade da Galeria Marília Razuk fica a poucos metros da primeira, na mesma rua, e ocupa o primeiro pavimento e o mezanino de um galpão de linguagem industrial. O espaço para mostras, que reúne obras contemporâneas de artistas consagrados e emergentes, é valorizado pela proposta luminotécnica de Guinter Parschalk, que combinou diferentes soluções a fim de assegurar uma iluminação flexível e atender diferentes demandas expositivas.

O galpão no bairro do Itaim Bibi, zona sul de São Paulo, abrigou por muitos anos uma confecção, que hoje ocupa somente o nível térreo. O primeiro pavimento e o mezanino, que antes serviam como oficinas e escritórios, foram transformados em uma nova unidade da Galeria Marília Razuk, voltada à arte contemporânea.

A adaptação dos espaços ficou a cargo do escritório de Roberto Loeb, que, entre as intervenções arquitetônicas, criou um acesso exclusivo à galeria, com trecho inicial em rampa e continuação em escada. Sobre essa área, uma cobertura de vidro garante boas condições de luz natural ao salão principal, onde também foi instalada uma janela de vidro basculante, como porta de garagem, com motor elétrico, que permite integrar interior e exterior.

A galeria ganhou acesso exclusivo e cobertura com trecho em vidro
A galeria ganhou acesso exclusivo e cobertura com trecho em vidro
Os materiais de acabamento criam cenário neutro que não distorce as cores das obras expostas
Os materiais de acabamento criam cenário neutro que não distorce as cores das obras expostas

A estrutura metálica viabilizou a abertura do antigo depósito, agora unificado com o salão. Marcando esse ponto, a estrutura aparente da cobertura foi ocultada por forro de gesso, enquanto no restante a laje de concreto à vista foi mantida.

Para desenvolver a proposta luminotécnica, Guinter Parschalk seguiu duas referências básicas. A primeira era a ambientação neutra, composta por paredes brancas e piso em tábuas de pinho certificadas de tom claro e fosco, especificadas pelos arquitetos.

“É uma boa composição porque não distorce as cores dos trabalhos expostos e favorece a reflexão da luz, ajudando a economizar energia elétrica”, explica o lighting designer.

A segunda estava na variedade de obras que a galeria pode receber, incluindo telas, instalações e apresentações multimídia. “A ideia era ter o sistema de iluminação o mais flexível possível, que atendesse à maioria das mostras”, ele completa.

Na grande área com laje de concreto aparente, onde o pé-direito chega a seis metros, Parschalk utilizou trilho trifásico, com três circuitos independentes além do de retorno, o que possibilita acender as fileiras isoladamente ou em diferentes combinações.

Duas das fases são equipadas com projetores direcionáveis, próprios para lâmpadas de vapor metálico, que emitem luz de forte intensidade e chapada.

A grande janela basculante leva luz natural aos espaços expositivos
A grande janela basculante leva luz natural aos espaços expositivos
O trilho trifásico possibilita diversas composições luminosas
O trilho trifásico possibilita diversas composições luminosas

Usando lâmpadas de foco aberto de 70 watts, um dos circuitos proporciona iluminação geral variável, abrangendo o claro bem homogêneo, sem sombras, alternativas de menor uniformidade e opção para mais ou menos contrastes.

O destaque é dado por lâmpadas do mesmo tipo, mas de foco fechado e com potência de 35 watts. No terceiro circuito foram empregadas halógenas dimerizadas, o que aumenta as possibilidades de mudança de arranjos.

As três variedades de lâmpadas apresentam temperatura de cor de 3 mil kelvins, de tonalidade amarelada. “Esse conjunto oferece uma iluminação bastante flexível, desde a luz chapada até a para contrastes, adequada à maioria das mostras”, detalha Parschalk.

Destinada à exposição de objetos menores ou mostras mais intimistas, a área com forro em gesso tem solução luminotécnica com sancas em U dotadas de fluorescentes T5 de 3 mil kelvins combinadas a projetores para halógenas dimerizadas.

Esse jogo de lâmpadas possui comandos independentes para cada lateral da sanca e permite criar cenários e dar destaque a peças específicas. É possível deixar uma parte clara e outra escura, o que é ideal para a apresentação de vídeos.

“Trata-se de uma solução simples, barata e eficiente, com variada gama de luz e diferentes desenhos e intensidades”, finaliza Parschalk.


Texto de Nanci Corbioli
Publicada originalmente em PROJETODESIGN
Edição 386 Abril de 2012

Guinter Parschalk Guinter Parschalk formou-se em arquitetura em 1978 pela Universidade Brás Cubas e concluiu pós-graduação em desenho industrial na Hochschule für Künstlerische und Industrielle Gestaltung, em Linz, Áustria. Atuou como designer na Siemens e na Schlagheck & Schultes Design, em Munique, Alemanha. Atualmente, dirige o Studio Ix, escritório especializado em percepção visual e luminotécnica
Trilho trifásico oferece diversas composições luminosas
Trilho trifásico oferece diversas composições luminosas
A iluminação adotou soluções simples, com variada gama de luz e diferentes desenhos e intensidades
A iluminação adotou soluções simples, com variada gama de luz e diferentes desenhos e intensidades
O salão principal tem seis metros de pé-direito. A administração da galeria funciona no mezanino
O salão principal tem seis metros de pé-direito. A administração da galeria funciona no mezanino
 
Na área de maior altura a iluminação emprega trilho trifásico, com circuitos independentes para lâmpadas de vapor metálico e halógenas dimerizadas
A proposta luminotécnica adapta-se a diferentes tipos de mostras, tais como apresentações multimídia
 

Texto de Nanci Corbioli| Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 386

PROJETOdesign e FINESTRA agora também para tablets!
Grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nossos conteúdos também em tablets e sem custo extra.

Assine agora