Escritório Rosenbaum: Restaurante Bossa, São Paulo

Bossa contemporânea

Em meio ao uso misto que dá vida ao bairro do Jardim Paulista, em São Paulo, o edifício em bloco único, suspenso do chão e inteiramente revestido com brises móveis de madeira plástica agrega funções de restaurante, bar e estúdio de som, tirando o máximo proveito de um dos metros quadrados mais caros da cidade. Espaço livre e confortável não falta neste projeto, concebido pelo escritório Rosenbaum em parceria com o carioca Muti Randolph e nomeado com a sugestiva designação de Bossa.

A idealização do empreendimento partiu do empresário e artista Renato Ratier, que é proprietário da casa noturna D-Edge e da marca de roupas Ratier, que, com loja no imóvel contíguo e possuindo dupla entrada, é acessível também pelo pátio posterior, de eventos, do Bossa. Cria-se, desse modo, uma interessante relação de vizinhança, similar ao caráter convidativo da galeria lateral de acesso ao restaurante/estúdio, antes utilizada como passagem de servidão. O edifício de dois pavimentos ocupa a maior parte do terreno e tem o térreo implantado na cota média, de modo que a face frontal esteja suspensa sobre a calçada. “Com isso obtivemos um espaço sem desnível, que se tornou mais amplo. E a fachada em balanço conferiu leveza à edificação”, explica a arquiteta Adriana Benguela, sócia do estúdio Rosenbaum, autor do projeto de arquitetura e interiores.

Parte da leveza e do caráter do Bossa deve-se à configuração do volume como uma caixa de brises móveis de madeira plástica (composto de pó de madeira com polímeros). “A opção pelo brise foi guiada principalmente pela sensação que [seu uso] confere ao espaço, de integração com a área externa, pela permeabilidade visual e pela incidência de luz solar controlada”, revela Adriana. O brise se junta à estrutura metálica e ao fechamento de vidro para tornar a fachada visualmente mais permeável, trazendo para o interior a sensação de varanda, mas sem interferir na privacidade dos frequentadores, detalha a arquiteta.

A sensação de interação com o exterior é mantida internamente pela escolha dos materiais. O piso é de cimento e a única face da edificação que não é revestida pelos brises tem aplicação de ladrilho hidráulico cinza. Segundo Adriana, essa linguagem arquitetônica imprime contemporaneidade ao local, associada aos móveis singelos, de design modernista. Contraposta à neutralidade aconchegante de mobiliário e revestimentos, a escada escultural no salão de pé‑direito duplo da entrada do restaurante conduz ao estúdio de gravação, localizado no trecho frontal do primeiro pavimento, e, futuramente, à cobertura de estar e eventos revestida com ripas de madeira. Solução semelhante foi adotada nos forros do térreo, de modo a enfatizar a linearidade dos ambientes. O estúdio é constituído por duas salas adjacentes, igualmente revestidas nas paredes e tetos com componente acústico de escultural desenho orgânico. Também no pavimento superior, mas na outra extremidade do vazio central, está a cozinha, que tem acesso independente pelo pátio do fundo. Um projeto similar está sendo implantado na região portuária do Rio de Janeiro, pelo mesmo proprietário e também com a participação de Muti Randolph na arquitetura de interiores. Seu programa inclui agência de turismo, casa noturna, restaurante, estúdio e galeria de arte.


 
Escritório Rosenbaum

Rosenbaum é um escritório de design e inovação, cuja equipe atua a partir do conceito do morar ampliado, que, além do projeto do espaço físico e da estética do objeto, integra valores de conexão, identidade cultural, cultura popular, memória e inclusão. São sócios do escritório o designer Marcelo Rosenbaum e a arquiteta Adriana Benguela (Unesp‑Bauru, 1995).



Ficha Técnica

Restaurante e estúdio Bossa
Local São Paulo, SP
Data do início do projeto 2012
Data da conclusão da obra 2015
Área construída 263,25 m²
Arquitetura e interiores Escritório Rosenbaum - Marcelo Rosenbaum e Adriana Benguela (autores); Muti Randolph (coautor); Ricardo Nomura (coordenador)
Construção Sigla
Paisagismo Gil Fialho
Fotos Joana França

Fornecedores

Skylight (estruturas metálicas)
TMD (vidros)
Alumitelas (estrutura dos brises da fachada, portas e janelas)
Arconterma (equipamentos de climatização)
DB Som (acústica)
THE (acabamentos de elétrica)
Decor Banho (louças e metais sanitários)
Dalle Piage (revestimentos de pisos e paredes internos)
Pedras Primavera (revestimentos de pisos e paredes externos)
Portobello (cozinha)
Lesco (madeira plástica da fachada)
Lumilandia (luminárias)
ABC Cook (equipamentos de cozinha)

Texto de Gabriela Nunes| Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 425
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora