Eduardo Chalabi: Bar Volt, São Paulo

Com uso interno, luminosos ganham status estético

Com tijolos e tesouras originais aparentes, destaca-se neste bar a iluminação de neon, material retirado de luminosos da região pós-Lei Cidade Limpa

Boa parte dos luminosos que recobriam fachadas comerciais da região foram parar no bar Volt, na quadra inicial da rua Haddock Lobo, na região central de São Paulo. Sem função nem lugar, por causa da cruzada de despoluição urbana movida pela Lei Cidade Limpa, as estruturas de neon foram reaproveitadas para compor a estética de memória kitsch que era uma das condicionantes do projeto de interiores criado por Eduardo Chalabi - ao lado da pequena verba disponível e do tempo exíguo, com os quais o arquiteto está acostumado a lidar. 

O ambiente aconchegante, em que a simplicidade e a espacialidade ampla se contrapõem aos ícones e letras de luz, busca atrair, entre outros, profissionais de áreas de criação, como arquitetos, artistas plásticos e designers que trabalham nas redondezas da avenida Paulista, tanto do lado dos Jardins como do centro.

A demolição das construções internas do imóvel revelou a forma linear e arejada de um galpão. O tratamento da estrutura do telhado, tornada aparente, trouxe o pé-direito elevado, bem-vindo ao programa, enquanto a recuperação dos tijolos à vista, nas divisas laterais, colaborou com certa rusticidade. “Mas não queríamos um bar com cara de Vila Madalena”, diz o arquiteto.

O comentário é sintomático: ao afastar o Volt do padrão exibido no boêmio bairro paulistano, Chalabi procura reforçar o vínculo com a região da Paulista, sobretudo com a proposição de uma linguagem que é um misto de tecnológica, alternativa e elegante.

O mobiliário do bar é quase todo composto por assentos consagrados, confortáveis poltronas criadas pelos designers norte-americanos Charles e Ray Eames, especificadas em tonalidades escuras e dimensões que são um convite à longa permanência. O layout racional acompanha a grande profundidade do lote e é amparado por pequenas variações de dimensões e tipos das mesas enfileiradas na longitudinal, de modo a prevalecer a unidade visual.

O fundo do lote é incorporado ao bar por meio de uma cobertura retrátil. Ali, uma parede verde - recoberta com grande variedade de plantas e dotada de um sistema automatizado de irrigação - faz referência ao conforto do ambiente externo, aberto e tão raro em empreendimentos desse tipo.

Outro destaque do projeto é a habilidosa utilização do espelho, em princípio um material conflitante com as instalações de neon. Ele reveste a totalidade do volume funcional da cozinha e do bar, implantado na lateral direita do galpão, minimizando aparentemente a sua interferência nos interiores. Por sua vez, os luminosos menosprezados pela legislação urbana ganharam status nos interiores: sua restauração e exposição foram feitas sob a curadoria do artista plástico Kleber Matheus.


Eduardo Chalabi
Eduardo Chalabi (FAU/USP, 1999) estagiou no escritório Una Arquitetos, colaborou com Paulo Mendes da Rocha, Bia Lessa e Marcio Kogan, e participou dos projetos das galerias Adriana Varejão e Fortes Vilaça e do Galpão Fortes Vilaça, em parceria com o arquiteto Rodrigo Cerviño Lopez. Atualmente é sócio de Paula Zemel



Ficha Técnica

Bar Volt
Local São Paulo, SP
Início do projeto 2008
Conclusão da obra 2009
Área do terreno 110 m2
Área de intervenção 125 m2
Interiores Eduardo Chalabi e Paula Zemel
Arquitetura Eduardo Chalabi (autor); Paula Zemel e Ricardo Ariza (colaboradores); Carolina Laiate e Gabriel Sepe (estagiários)
Paisagismo Gica Mesiara
Luminotécnica Eduardo Chalabi
Construção KTTM
Fotos Carolina Quintanilha

Fornecedores

Assis (equipamentos de cozinha);
CKS (equipamentos do bar);
Pedra Chik (pedras);
Quality Air (ar-condicionado);
Victória (marcenaria);
Vilar (revestimento de piso);
Zetaflex (N cobertura retrátil)

Texto de Evelise Grunow| Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 353
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora