Prêmio AsBEA 2008: Prêmio Roberto Cláudio dos Santos Aflalo

Aflalo & Gasperini Arquitetos

Produção se destaca pela qualidade técnica e atuação em equipe

Em sua quinta edição, a láurea mais importante dada pela Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura foi para o escritório Aflalo & Gasperini. Quem batiza o prêmio é Roberto Cláudio dos Santos Aflalo, que, além de autor de inúmeros ícones da arquitetura brasileira e um dos fundadores da Asbea, é um dos criadores do escritório homenageado. Todos os projetos inscritos pela equipe foram destacados - Rochaverá, Eldorado e Hiléa com prêmios, a ampliação do Morumbi Shopping com menção honrosa. Sem que nenhum outro concorrente ganhasse mais de um prêmio, ficou fácil para o júri decidir.


ROCHAVERÁ CORPORATE TOWERS:

Numa manhã de segunda-feira, em um prédio comercial na Vila Olímpia, em São Paulo, o escritório Aflalo & Gasperini está agitado. Nada de anormal: é um dia comum. Roberto Aflalo Filho está trabalhando desde pouco antes das 9 horas. Os dois outros sócios, Luiz Felipe Aflalo Herman e Gian Carlo Gasperini, chegam logo depois. Sobre a mesa de Aflalo Filho, repousa o convite de inauguração da primeira fase do Rochaverá Corporate Towers. O evento terá uma palestra do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. O tema? A globalização e a nova ordem financeira mundial.

Situado em uma gleba de 34 mil metros quadrados na marginal do Pinheiros, o Rochaverá recebeu o Prêmio Asbea na categoria edifícios de serviços. Trata-se de um empreendimento composto por quatro torres, das quais duas estão prontas. Com investimento de 300 milhões de reais, é um conjunto marcante dentro dos novos padrões tecnológicos dos escritórios em São Paulo. A área em que está implantado se consolida como o principal eixo de negócios da capital paulista. Se nos anos 1980 a região da Berrini era povoada de edifícios com acabamentos simples, hoje em dia lá são construídos os prédios mais sofisticados da cidade.

Além da tecnologia, a volumetria se faz evidente: as torres A e B, que FHC inaugurou, são gêmeas e possuem, cada uma, um grande pano de vidro inclinado que tensiona o conjunto. "Mais do que a forma, as lajes maiores nos andares mais altos são uma resposta ao desejo do cliente", relata Aflalo Filho. "Assim, o empreendimento fica mais rentável." Ambas as edificações configuram uma praça de acesso, orientada para a esquina oposta à marginal. Atravessando a rua, chega-se ao Morumbi Shopping, cuja ampliação - voltada justamente para o Rochaverá - também foi criada por Aflalo & Gasperini e premiada pela Asbea com menção honrosa na categoria edifícios comerciais.


AMPLIAÇÃO DO SHOPPING MORUMBI:

ILUMINAÇÃO NATURAL
Sobre o desenho do centro de compras, Aflalo Herman afirma que "o grande problema foi fazer a ampliação sem que o outro item do programa - uma torre de escritórios - perdesse a identidade". O novo volume acrescenta cerca de 60 lojas ao Morumbi Shopping, construído nos anos 1980. Sobre ele há uma torre de 13 pisos, com pequenos conjuntos comerciais. "Os dois possuem fachadas alinhadas e entradas independentes.

Achamos importante que, em um prédio com unidades pequenas, as circulações dos andares tenham iluminação natural", relata Aflalo Herman. Essa preocupação transparece também nos dois pisos com estabelecimentos comerciais. Para tornar o volume menos agressivo, há aberturas nas lojas voltadas para a rua. "Infelizmente, poucos comerciantes aceitaram a idéia", diz. Para os autores, a nova fachada será em breve a entrada do shopping center. "Com o prolongamento da avenida que será a continuação do eixo da Berrini e os grandes empreendimentos, como o Rochaverá, esse lado vai ter mais importância que o outro", garante Aflalo Herman.

EIXO SUDESTE
Aflalo & Gasperini é um dos escritórios de arquitetura mais atuantes no país. Sua origem remonta a 1962, quando Plínio Croce (1921-1984), Roberto Aflalo (1926-1992) e Gian Carlo Gasperini (1926) se reuniram para participar do concurso para o edifício Peugeot, em Buenos Aires. Depois de vencer outros 132 escritórios de diversos países, o trio criou um estúdio, chamado inicialmente Croce, Aflalo & Gasperini. No final dos anos 1980, com a mudança para o nome atual, Aflalo Filho e Aflalo Herman - respectivamente filho e sobrinho de Roberto Aflalo - associaram-se à empresa. Gasperini é formado pela Universidade do Brasil (atual UFRJ) em 1949 e doutor pela FAU/USP (1973). Aflalo Filho graduou-se pela FAU/USP (1976) e tem mestrado pela Universidade Harvard, nos EUA (1980). Aflalo Herman é arquiteto pela Universidade Brás Cubas.

Nesses 46 anos de atuação, o escritório desenvolveu mais de 1,2 mil projetos. É interessante observar como esses trabalhos se deslocaram, na capital paulista, na mesma direção em que se movimentou o poder econômico. No início, antes mesmo de 1962, as principais propostas estavam na área central da cidade. Exemplo disso é o edifício Metrópole (de Gasperini e Salvador Candia). Depois, migraram para a avenida Paulista (edifício Paulicéia, de Gasperini e Jacques Pilon) e seguiram posteriomente para a Faria Lima (Parque Iguatemi), só para citar alguns. "Quando dou palestras, mostro o mapa de São Paulo para localizar nossos projetos", relata Aflalo Filho. "E é impressionante: a maioria dos atuais estão no eixo sudoeste da cidade", diz.


ELDORADO BUSINESS TOWER: 

SUSTENTABILIDADE CERTIFICADA
Na categoria projetos sustentáveis, a Asbea premiou outro edifício da equipe, o Eldorado Business Tower. Tal como o Rochaverá, ele foi implantado na marginal do Pinheiros. As semelhanças não param por aí: trata-se também de um prédio de grande porte (são 115 mil metros quadrados de área), com escritórios de alto padrão; fica colado a um centro de compras e divide a gleba com uma estação de trem.

A proposta passou por longa etapa de desenvolvimento, que incluiu até mudança de uso (em algumas fases, o programa agrupava hotel, centro de convenções e escritórios). A torre possui inovações técnicas - como, por exemplo, a fachada unitizada e o revestimento de vidro -, mas o destaque (e o prêmio que recebeu) voltou-se para preocupações ecológicas, baseadas em processo de certificação norte-americano.

Dentro do sistema Leed, o edifício foi pré-certificado com a classificação máxima, chamada Platinum (o Rochaverá possui a graduação Gold, um nível abaixo). O estúdio de arquitetura está atento às questões ligadas à sustentabilidade em edificações, que, de forma geral, proporciona economia na manutenção dos prédios.

Uma das arquitetas coordenadoras da equipe, Milene Abla Scala, defendeu tese de mestrado tendo como tema a sustentabilidade em torres de escritório.


EDIFÍCIO HILÉA:

CENTRO PARA IDOSOS
O quarto projeto de Aflalo & Gasperini contemplado nesta edição do Prêmio Asbea - na categoria edifícios hoteleiros - é o Hiléa, um centro para idosos que inclui áreas de lazer, hotelaria e atendimento à saúde. "Mas não é um hotel: é um programa único no Brasil", revela Aflalo Herman. Para sua elaboração, foram pesquisados diversos sistemas semelhantes, principalmente o norte-americano e o europeu. "Adotamos o europeu, que opta por uma configuração urbana, integrada à cidade, ao contrário do norte-americano, que isola os idosos em áreas ensolaradas mas distantes", diz o arquiteto.

O prédio, assim como o edifício no Morumbi Shopping, possui configuração em forma de lâmina. Ele apresenta como um de seus destaques os recortes que desenham nas empenas as inclinações da cobertura. Na base estão as áreas de convivência.

No primeiro piso da torre ficam os consultórios médicos, com vários especialistas em geriatria. Os apartamentos se distribuem pela torre e na cobertura há uma UTI. A instituição lança um foco especial sobre os portadores do mal de Alzheimer, com um complexo centro de acompanhamento da doença. "Os usuários podem passar o dia ou morar no local", relata Aflalo Herman. Além da qualidade técnica perseguida e da linguagem arquitetônica, um dos pontos a destacar na longevidade do escritório Aflalo & Gasperini é a cultura da atuação em equipe.

Se antes a criação era restrita aos sócios, hoje - pela própria quantidade de trabalho - há um grupo que, acompanhado por Gasperini, Aflalo Filho ou Aflalo Herman, produz as primeiras idéias de cada projeto. Essa combinação de elementos trouxe este ano, entre outros resultados, a premiação principal da Asbea. "Fico pensando no Roberto Aflalo, e até me emociono com um prêmio como este", resume Aflalo Herman.


Giancarlo Gasperini, Roberto Aflalo Filho e Luiz Felipe Aflalo Herman



Ficha Técnica

Rochaverá Corporate Towers
Local São Paulo, SP
Data do início do projeto 2000
Data da conclusão da obra 2008 (1ª etapa)
Área do terreno 33.500 m²
Área Construída 233.700 m²
Arquitetura Aflalo & Gasperini Arquitetos - Gian Carlo Gasperini, Roberto Aflalo Filho e Luiz Felipe Aflalo Herman (autores); Eduardo Martins Ferreira e Fátima Moreira (coordenação)
Incorporação Tishman Speyer
Construção Método
Acústica Acústica & Sônica
Ar condicionado, automação predial, drenagem e prevenção de incêndio MHA
Caixilharia AEC
Comunicação visual UND
Luminotécnica Studio Ix
Paisagismo Pámela Burton e DW/Santana
Estruturas JK & MF (concreto); Kurkdjian Fruchtengarten (metálica)
Consultoria de green building Sustentax
Fotos Nelson Kon e Daniel Ducci


Ampliação do Morumbi Shopping
Local São Paulo, SP
Data do início do projeto 2005
Data da conclusão da obra 2006 (shopping); 2007 (torre)
Área do terreno 56.500 m²
Área construída 31.000 m²
Arquitetura Aflalo & Gasperini Arquitetos - Gian Carlo Gasperini, Roberto Aflalo Filho e Luiz Felipe Aflalo Herman (autores); Milene Abla Scala (coordenação)
Gerenciamento Mada, Plenitch, Encoplan e Cláudio Cunha
Estrutura Aluízio D'Ávila & Associados, Kurkdjian Fruchtergarten e Alaxis
Fundações Clóvis Maia
Luminotécnica Franco & Fortes e T. Kondos Associates
Ar condicionado Thermoplan
Instalações Enit
Caixilharia QMD
Fotos Daniel Ducci


Eldorado Business Tower
Local São Paulo, SP
Data do início do projeto 2002
Data da conclusão da obra 2007
Área do terreno 68.800 m²
Área construída 115.400 m²
Arquitetura Aflalo & Gasperini Arquitetos - Gian Carlo Gasperini, Roberto Aflalo Filho e Luiz Felipe Aflalo Herman (autores); Eduardo Martins Ferreira e Maria Cecília Castro (coordenação)
Acústica Akkerman
Ar condicionado, pressurização, ventilação e exaustão Thermoplan
Instalações, sprinklers e automação Enit
Caixilharia Mario Newton e Schüco International
Estrutura França e Associados, VCM e RCM
Fundações Consultrix
Impermeabilização e drenagem Poassp
Luminotécnica Franco & Fortes Studio Ix
Paisagismo Benedito Abbud
Fotos Daniel Ducci


Edifício Hiléa
Local São Paulo, SP
Data do início do projeto 2005
Data da conclusão da obra 2007
Área do terreno 2.600 m²
Área construída 13.400 m²
Arquitetura Aflalo & Gasperini Arquitetos - Gian Carlo Gasperini, Roberto Aflalo Filho e Luiz Felipe Aflalo Herman (autores); Luana de Alencar Radesco (coordenação)
Acústica Acústica & Sônica
Ar condicionado Scheepmaker
Impermeabilização Proassp
Combate a incêndio Ofos
Instalações MHA
Elevadores Empro
Estrutura Pasqua & Graziano
Fundações Fundacta
Luminotécnica Mingrone
Paisagismo Isabel Duprat
Fotos Daniel Ducci

Fornecedores

Rochaverá Corporate Towers
Cajugran (granito)
Stamp (painéis de fachada)
Pilkington (vidros)
Luxalum (caixilhos de alumínio)
Ciasul (drywall)
Arqtec (painéis de alumínio composto)
Lumini, Lumicenter (luminárias)
Osram (lâmpadas e reatores)
Guilhem Marcenaria (esquadrias de madeira)
JKSunto (esquadrias metálicas)
Gerdau (aço)
Sistema (forro mineral)
Yale, La Fonte, Dorma (ferragens)
Smart SLG (sistema de automação)
Metálika (portas corta-fogo)
ThyssenKrupp (elevadores)
Viapol (impermeabilização)
Gondomatic (sistema para lavagem de fachadas)
Cecrisa, Portobello, Gyotoku (cerâmicas)
Fênis Móveis (marcenaria)


Ampliação do Morumbi Shopping
Portobello, Cecrisa (cerâmicas)
Alcan (painéis de alumínio composto)
Glassec, Santa Marina (vidros)
Hunter Douglas (forro mineral)
Formica (laminado melamínico)
Atlas Schindler (escadas rolantes)
La Fonte, Kekesi (ferragens)
Carneiro (portas de enrolar)


Eldorado Business Tower
Concretex (concreto)
Uniflex, Somfy (cortinas e persianas)
Neocon (divisórias)
ThyssenKrupp (elevadores)
Perc, Adalume, Metálika (esquadrias)
OWA (forros)
Philips (lâmpadas)
Lumini (luminárias)
Docol (metais sanitários)
Deca (louças sanitárias)
Sá Mármores, Clodomármores (pedras de revestimento)
Pisoag (piso elevado)
Portobello, Cecrisa (cerâmicas)
Glaverbel (vidros)


Edifício Hiléa
Gerflor/Brasforti (piso vinílico)
Gail (piso cerâmico)
Armstrong/Hunter Douglas (forro acústico)
Clamon (marcenaria)
Alberflex, Fernando Jaeger (mobiliário)
Ansett, GTP Supernus (automação)
Luxalum (esquadrias)
Deca, Docol (metais sanitários)
Pilkington (vidros)
Pertech, Parquet União (madeira da fachada)
Lees/Brasforti (carpetes)

Texto de Redação| Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 346
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora