28° Opera Prima

Menções Honrosas: Região 1

Complexo Turístico em Minas do Camaquã
Autora: Manoela Conte 
Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre (RS)
Orientador: Leandro Manenti

Minas do Camaquã, localizada em Caçapava do Sul, no Rio Grande do Sul, foi uma importante mina de extração de cobre. Desativada em 1996, contudo, ela foi gradativamente abandonada pelos antigos trabalhadores. O objetivo desse projeto é reabilitar - com novo uso - a mina, ativando seus potenciais turístico, paisagístico, educativo e econômico. A ideia é criar uma arquitetura discreta (instalações para hotel, museu, áreas de pesquisa e parque, com destaque para a utilização), cujos volumes horizontais de concreto armado estão imersos nos taludes de 10 metros que caracterizam o sítio.
CLIQUE AQUI para baixar a prancha do projeto na íntegra.

Amálgama
Autora: Mariana Maass 
Universidade Regional de Blumenau, Blumenau (SC)
Orientador: Hugo Nieto

Os assentamentos irregulares começaram a existir em Blumenau na década de 1920 e se proliferaram a partir dos anos 1970. Nesse projeto, a autora intervém no bairro Ribeirão Fresco, próximo da porção central da cidade e situado no estreito vale que margeia o Rio Itajaí-Açu. Moram atualmente no local 1,9 mil pessoas, que ocupam as 586 residências precárias dispersas pelos 1,22 quilômetro quadrados de área, quase toda ela sujeita à inundação. Complementando a leitura abrangente do local, pretendendo-se a conexão entre setores isolados entre si, o projeto detalha três intervenções pontuais: a criação de um núcleo escolar, cercado por praças, a inserção de um centro de recreação e de um centro comunitário.
CLIQUE AQUI para baixar a prancha do projeto na íntegra.

Revitalização e Ressocialização do Hospital Psiquiátrico São Pedro
Autor: Alexandre Engel Budiner Höllermann
Centro Universitário Univates, Porto Alegre (RS)
Orientador: Alex Carvalho Brino

Em Porto Alegre, continua ativo o Hospital Psiquiátrico São Pedro, uma edificação de dimensões e implantação imponentes, imersa em uma clareira da cidade. Dos seus cerca de 5,5 mil pacientes internados nos anos 1960, restam hoje 240. Embora não se pretenda acolher novos internos - a psiquiatria deixou de recomendar esse tipo de procedimento -, o projeto trata da requalificação do local a fim de promover a melhoria das condições de vida dos residentes e a sua ressocialização. As enormes áreas abertas que cercam a edificação serão, assim, transformadas em praças, criando-se novos acessos. Novas residências para os internos e intervenções no edifício do hospital, de modo a nele inserir um teatro, um museu e salas multiúso, complementam o programa.
CLIQUE AQUI para baixar a prancha do projeto na íntegra.
 

Centro de Visitantes da Gruta do Bacaetava
Autora: Mariana Steiner Gusmão
Universidade Federal do Paraná, Curitiba (PR)
Orientador: Emerson José Vidigal
Subutilizada por causa da falta de instalações adequadas, a visitação do Parque Municipal da Gruta do Bacaetava (1), na Região Metropolitana de Curitiba, é atualmente voltada a dois públicos distintos: estudantes dos ensinos médio e fundamental e turistas do circuito rural e gastronômico da região. Prover a infraestrutura necessária para aproveitar todo o seu potencial de centro turístico e educativo é o tema do projeto, baseado tanto em intervenções externas (criação de espaços de apoio para turismo e pesquisa) quanto internas, inserindo-se galerias de visitação ao longo da gruta.

CLIQUE AQUI para baixar a prancha do projeto na íntegra.



Texto de | Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 441
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora