Opera Prima 2013

Talentos de uma nova geração

Apresentamos a seguir os cinco premiados do 24º Opera Prima. Nesta edição, foram avaliados 329 trabalhos de conclusão de cursos de arquitetura e urbanismo de todo o Brasil, defendidos em 2011 ou 2012

A maturidade das propostas, no que diz respeito tanto a conceituação e embasamento, quanto ao grau de desenvolvimento, foi destacada pelos júris regionais e nacional, e assim, com o objetivo de traçar os perfis desses talentosos profissionais que despontam no Brasil a partir das lentes do Opera Prima, entrevistamos os autores e orientadores dos projetos vencedores.

Como o trabalho de conclusão de curso (TCC, TC ou TFG, qualquer que seja a nomenclatura corrente nas várias instituições de ensino) é estruturado na grade curricular? Qual a natureza da orientação do professor, intervertida ou de supervisão? Como se chega à definição do tema e à estratégia do plano de pesquisa? Essas e outras questões relevantes perpassam as matérias sobre os premiados.

Em São Paulo, foram consagrados dois trabalhos: Arquitetura por Subtração - Estrados sob os Viadutos 9 de Julho, Jacareí e Dona Paulina (de Henrique Martin Te Winkel, da FAU/Mackenzie), orientado por Antonio Carlos Sant’Anna Júnior e Júlio Luiz Vieira; e Requalificação Urbana do Perequê (de Dhiego Magalhães Torrano, da Universidade Católica de Santos), orientado por José Maria de Macedo Filho. O primeiro resgata um projeto da década de 1930 da capital paulista (o de um minimetrô, ligando os centros velho e novo) e o insere na cidade atual, interagindo com as realidades das áreas envoltórias.

Seriam cerca de 60 mil metros quadrados de área edificada, em um percurso linear (parcialmente aéreo, parcialmente enterrado) que se inicia na Biblioteca Mário de Andrade e termina nas proximidades da praça da Sé. A proposta santista, por sua vez, intervém na comunidade de pescadores do Perequê e, preservando seus hábitos de vida, configura um novo centro, qualificado ambiental e programaticamente, capaz de abrigar conjunto maior de residências e promover o contato dos moradores com a população flutuante, de turistas - o projeto conquistou, ainda, a distinção adicional de escolhido pelo público, em votação aberta que ocorreu em março através do ARCOweb e que contou com mais de 100 mil votos.

Quando estudantes, os orientadores Sant’Anna (FAU/USP, 1978) e Macedo Filho (Universidade Católica da Santos, 2003) elegeram como tema do trabalho de conclusão, respectivamente, um estudo sobre a (falta de) industrialização da construção brasileira e um projeto de caráter social inserido no Seminário Diocesano de Santos.

Do Sul do país, Camila da Rocha Tiesen (Centro Universitário Ritter dos Reis, RS) teve premiado o seu projeto Reciclagem Urbana: Biblioteca‑Parque como Elemento Regenerador, orientado por Helena Karpouzas. Inserida na margem do lago Guaíba, trata-se de uma proposta para incorporar uma área marginalizada à vida da cidade, tendo como pano de fundo a requalificação de um conjunto abandonado de silos.

Aspecto semelhante, o de recuperação de locais degradados, aparece também no trabalho mineiro premiado no concurso. De autoria de Bernardo de Andrade Horta (Universidade Fumec), o Centro Ambiental da Pedreira (Recuperação da Pedreira do Riacho como Espaço de Educação Ambiental Informal) teve a orientação de Bruno Luiz Coutinho Santa Cecília e aborda a criação de um parque e centro cultural-educativo na região de Contagem (município que faz parte da Região Metropolitana de Belo Horizonte), deteriorada pela atividade extrativista. Por fim, a proposta vencedora de Adélia Margarida Massimo Ribeiro, aluna da Universidade de Brasília, incide sobre uma área remanescente do Plano Piloto da capital federal, localizada na Asa Norte e originalmente designada para a implantação de um Clube de Vizinhança. Margarida previu a criação de uma unidade do Serviço Social do Comércio (Sesc), que reúne em um mesmo conjunto atividades de esporte, lazer e cultura, orientada pela professora Luciana Saboia Fonseca Cruz.

Na etapa inicial de julgamento, os jurados regionais - Adriano Mascarenhas (BA), Felipe Bezerra (RN) e Marco Antonio Borsoi* (PE), da região 1; Luciano Andrades (RS), Manoel Coelho* (PR) e Sérgio Marques (RS), da região 2; os paulistas Fernando Forte, Marcelo Ferraz* e Mario Biselli, da região 3; Alex Maymone (MS), Daniel Mangabeira (DF) e Sérgio Parada* (DF), da região 4; Carla Juaçaba (RJ), Cristina Engel de Alvarez (ES) e Gustavo Penna* (MG), da região 5 - selecionaram 25 finalistas, que seguiram para o crivo do júri nacional*. A primeira análise foi realizada remotamente, com a pontuação dos projetos a partir de critérios orientativos de análise, seguindo-se as rodadas de validação através de conferências também a distância. A etapa nacional, contudo, foi realizada em 31 de janeiro na sede da Arco Editorial, em São Paulo.

Clique abaixo e confira os cinco vencedores desta edição:

Requalificação do Perequê - Dhiego Magalhães Torrano

Arquitetura por subtração - Henrique Martin Te Winkel

Centro Ambiental da Pedreira - Bernardo de Andrade Horta

Biblioteca-parque - Camila da Rocha Thiesen

Sesc Asa Norte - Adélia Margarida Massimo Ribeiro

Texto de Evelise Grunow| Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 409
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora