Una Arquitetos: Centro Universitário Maria Antônia e Instituto de Arte Contemporânea (IAC), SP

Praça reconecta tempos históricos

Foi reinaugurado, em outubro, o prédio Joaquim Nabuco, pertencente à Universidade de São Paulo e destinado à ampliação da sede do Centro Universitário Maria Antônia. O projeto, de autoria do Una Arquitetos, extrapola a reforma da edificação ao contemplar também a requalificação do espaço vazio que a separa do prédio vizinho, criando uma nova praça no bairro da Vila Buarque. Mesmo com o longo período de obra e a mudança do programa (já não está mais no local a instituição que encomendou o projeto, o Instituto de Arte Contemporânea), manteve-se a pertinência do projeto dos arquitetos paulistanos no que diz respeito à qualidade da sua inserção naquele trecho consolidado da cidade

Faz parte das minhas recordações de estudante de arquitetura no Mackenzie o transitar pela desgastada escada de mármore branco do Centro Universitário Maria Antônia (Ceuma), da Universidade de São Paulo (USP), localizado na face oposta da rua, no bairro paulistano da Vila Buarque. Palestras, lançamentos de livros, cursos rápidos e sessões de música eram atrativos constantes aos interessados nos eventos de arte-cultura que aconteciam no local desde o final dos anos 1990 - e continuam a acontecer -, denunciando no espaço público o menor ou maior sucesso da iniciativa, em função do tamanho da fila na frente da instituição.

Em 2001, já egressa da universidade mas ainda frequentadora da região, onde está sediada a revista PROJETO, houve valioso incremento da programação, resultado da vinda para o local do Instituto de Arte Contemporânea (IAC) por conta de um convênio firmado com a USP. Foi o IAC o responsável pela contratação do Una Arquitetos, em 2001, para conceber a sua sede - temporária, já que terminada a relação com a USP, em 2011, o instituto está agora abrigado no Centro Universitário Belas Artes de São Paulo - de modo a reativar um dos edifícios, também pertencente à USP e vizinho ao Ceuma. Estava reaberta assim a interlocução entre as duas edificações (denominadas Rui Barbosa e Joaquim Nabuco) que, distanciadas entre si por um pátio aberto, estiveram antigamente conectadas a uma terceira construção voltada para a rua Doutor Vila Nova.

Na primeira delas, onde está instalado o Ceuma, funcionou por quase duas décadas a Faculdade de Filosofia da USP. Em 1968, o prédio foi fechado por ordem do governo militar. São relativas a tal contexto as famosas fotografias da batalha de rua protagonizada por estudantes em frente ao edifício que, desde então, impregnam o imaginário do lugar. O projeto do Una Arquitetos transformou o vazio entre as duas construções em uma praça pública, função que finalmente agora, passados quase 15 anos do início da reforma do prédio Joaquim Nabuco, é desempenhada em seu máximo potencial - fundamental para a região, tanto por causa do valor simbólico na história do local, quanto pela necessidade de lá se abrirem espaços de livre fruição.

Com a reinauguração do edifício Joaquim Nabuco em meados de outubro, o projeto do Una Arquitetos foi finalmente concluído, de modo a somar-se à requalificação do prédio (houve a demolição parcial de adendos da construção antiga e a implantação de um novo núcleo, de estrutura metálica e vedação por vidro e brises, no qual estão localizadas as salas expositivas e um foyer/café na cota inferior) a ligação entre as praças de cima e de baixo criadas pelos arquitetos, conectadas por meio de passarela e rampa.

No nível inferior, a praça serve de acesso ao teatro existente no subsolo do Rui Barbosa e aos novos espaços de café, foyer, sala de música e dança. Embora seja nítida a distinção entre o antigo e o novo, este identificável por sua materialidade metálica e industrializada, preservou-se ao máximo as construções existentes. É tal a delicadeza do trabalho que, na visão de Fernanda Barbara, do Una, “parece não haver edifício”. Isso porque são os espaços abertos que tornam especial a nova relação das construções da USP com o bairro.

 
 

Una Arquitetos
Criado em 1996, o escritório paulistano Una Arquitetos é constituído por Cristiane Muniz, Fábio Valentim, Fernanda Barbara e Fernando Viégas, todos formados pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU/ USP) e professores da Escola da Cidade



Fornecedores

Maria Antônia/IAC
Local São Paulo, SP
Início do projeto 2001
Conclusão da obra 2017
Área total 6.198,68m²

Arquitetura Una Arquitetos - Cristiane Muniz, Fábio Valentim, Fernanda Barbara e Fernando Viégas (autores); Ana Paula de Castro, André Ciampi, Apoena Amaral e Almeida, Camila Lisboa, Clóvis Cunha, Fernanda Neiva, Felipe Noto, Guilherme Petrella, Henrique Bustamante, Jimmy Liendo, José Baravelli, José Carlos Silveira Júnior, Pablo Hereñu, Sílio Almeida (colaboradores)
Estrutura de concreto França & Associados
Estrutura metálica Engebrat Consultores, Engenharia e Projetos
Climatização Thermoplan
Conforto térmico Ambiental S/C Ltda
Acústica Ambiental S/C Ltda e Passeri & Associados
Cenotécnica J. C. Serroni Criações Visuais
Luminotécnica Ricardo Heder
Consultoria em conservação Gedley Belchior Braga
Participação em pesquisa histórica Tuca Capelossi
Paisagismo Sakae Ishi
Modelo eletrônico Clóvis Cunha
Fotos Nelson Kon

 

Texto de Evelise Grunow| Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 440
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora