8º Prêmio AsBEA: Menções obras


Arquitetura corporativa e de interiores

FGMF Arquitetos
Restaurante Deliqatê, São Paulo
O restaurante Deliqatê, localizado no centro de São Paulo, é um projeto do escritório FGMF Arquitetos inspirado no estilo industrial, evidenciando-se a estrutura metálica e os tijolos aparentes. O desnível no terreno levou à solução em três andares: o térreo, destinado a entrada, balcão de atendimento, caixa, setor de mesas, terraço e deque externos; o subsolo, onde se encontram a cozinha e demais espaços de serviços; e o superior, que em forma de mezanino se estende sobre a entrada e conta com áreas de mesas interna e externa, podendo ser separada do térreo no caso de eventos fechados. Além do fechamento em vidro, os tons mais neutros e sóbrios dominam o revestimento.


Edifícios e conjuntos residenciais

RoccoVidal+Arquitetos
MaxHaus Campo Belo, São Paulo
Com o conceito de arquitetura aberta e flexível, RoccoVidal+Arquitetos projetou o edifício MaxHaus Campo Belo, localizado no bairro homônimo, na zona sul de São Paulo. Em terreno de 1,8 mil metros quadrados, o prédio conta com 68 unidades, distribuídas em 17 pavimentos, além de áreas comuns de piscina, sauna, academia, café e hall de entrada, com revestimento de madeira e piso e parede de concreto. Para a fachada, o escritório criou um jogo de volumes, cores e linhas, através de enquadramentos e marcações feitos por painéis metálicos com diferentes composições, em que é protagonista o próprio concreto com acabamento chumbo.


Edifícios industriais

Loeb Capote Arquitetura e Urbanismo
Knorr-Bremse, São Paulo
A Knorr-Bremse ganhou uma nova unidade industrial em Itupeva, SP, que conta com 35 mil metros quadrados, divididos em dois blocos principais: um abriga a fábrica e o outro, restaurante e vestiários. Este se situa um pouco abaixo do primeiro, o que permite que seu teto verde fique no mesmo nível do galpão e se torne um terraço de convivência. O projeto do escritório Loeb Capote adotou vedação de vidro, que proporciona transparência entre os diferentes setores internos da companhia e a paisagem externa, além de o galpão possuir uma estrutura metálica com vãos de 35 metros que possibilita reunir em um único ambiente etapas fabris como montagem, expedição e docas. A área da produção pode ser vislumbrada a partir de uma passarela em aço de 45 metros.


Edifícios institucionais

GCP Arquitetos
Arena Pantanal, Cuiabá
O escritório GCP Arquitetos buscou realizar uma requalificação urbana, transformando a nova Arena Pantanal em um grande parque com múltiplo uso, instalações esportivas, culturais, educativas e de entretenimento. A área do conjunto arquitetônico onde a arena está inserida é de aproximadamente 300 mil metros quadrados, com capacidade máxima de até 44 mil espectadores. A maior parte das arquibancadas foi executada em concreto pré-moldado. O fechamento externo é composto por pórticos verticais metálicos ancorados aos pilares pré-moldados e aletas metálicas que funcionam como brises. A arena possui sistema de reúso de água e segue parâmetros da certificação Leed.


Edifícios institucionais
BCMF Arquitetos

Mineirão, Belo Horizonte
O estádio de futebol Mineirão, em Belo Horizonte, passou por uma reforma que teve como desafio manter a arquitetura original da parte tombada da estrutura. Com esse objetivo, o escritório BCMF Arquitetos desenvolveu um projeto de remodelação que incluiu uma plataforma de serviços e comércio, praças integradas com o entorno e a extensão da cobertura, entre outras medidas. Os pórticos estruturais, a laje da cobertura e a arquibancada superior foram mantidos, enquanto os anéis intermediário e inferior foram demolidos. Cerca de 90% do material de demolição foi triturado, britado e reutilizado no novo concreto; painéis solares foram instalados na laje da estrutura.


Edifícios institucionais
Lazuli Arquitetura

Teatro Francisco Nunes, Belo Horizonte
Para suprir a carência de teatros em Belo Horizonte, foi inaugurado em 1950 o Teatro Francisco Nunes, agora completamente restaurado, com capacidade para 543 espectadores. A reforma foi concebida por Lazuli Arquitetura, que determinou a substituição das poltronas, sistema de ar condicionado e tratamento acústico, reformou os sistemas de som, iluminação, caixa cênica, sala de aquecimento para artistas e camarins, além de ter aberto espaços para o setor administrativo, bilheteria, banheiros, lanchonete e cozinha. O foyer passou a ter pé-direito duplo, com um único acesso central e espaço para exposições. Logo na entrada, é possível ver o jardim lateral revitalizado, assim como a recuperação dos mosaicos e dos barrados em pedra bruta.


Edifícios de serviços

VilaNova Arquitetura
Casa 233, Campina Grande, PB
O escritório VilaNova Arquitetura foi o responsável pela transformação de uma residência construída nas primeiras décadas do século 20, no centro histórico de Campina Grande, no estúdio de arquitetura Casa 233. O projeto considerou o restauro de partes da edificação que estavam parcialmente arruinadas, demolidas ou descaracterizadas e, então, foram traçadas as estratégias de atuação: preservar a identidade do edifício, através de técnicas, materiais e linguagens; renovar as relações entre a construção e o lote; adequar espacialmente os novos usos, com o mínimo de interferência na configuração remanescente; recompor a volumetria original e recuperar pisos, revestimentos e esquadrias existentes.


Edifícios de serviços
Terra e Tuma Arquitetura e Urbanismo

Casa + Estúdio, São Paulo
Para atender à demanda de um cliente que pretendia morar e trabalhar no mesmo local, o escritório Terra e Tuma Arquitetura e Urbanismo desenvolveu o projeto da Casa + Estúdio, em São Paulo. Visando manter a autonomia dos setores, os acessos são feitos separadamente. A casa foi implantada na parte mais alta e frontal do lote, enquanto o estúdio, na porção posterior, aproveitou‑se do declive natural do terreno para obter o pé-direito necessário à atividade. O edifício se resume estruturalmente em alvenarias autoportantes e vigas metálicas, com pisos em laje zero (na área interna) e intertravado (externa).


Projetos especiais

Jardins Arquitetura e Engenharia
Praça da Pedra, Palhoça, SC
Um grande bloco de mármore branco - marco inicial do bairro Cidade Pedra Branca, em Palhoça, SC - foi mantido como símbolo durante a restauração da praça da Pedra. O projeto do escritório Jardins Arquitetura e Engenharia visou criar um local agradável para encontros cotidianos que, ao mesmo tempo, comportasse eventos maiores ao longo dos 4.690 metros quadrados do terreno. O piso original foi preservado, assim como as palmeiras existentes. Para proporcionar a linguagem contemporânea, foram implantados uma lâmina d’água de apenas dois centímetros de profundidade, uma área gramada livre, espaços de descanso nas sombras de árvores com bancos feitos de material sustentável, além de cadeiras soltas e um playground.


Residências

FGMF Arquitetos
Casa das pérgolas deslizantes, Bauru, SP
Para atender à demanda do cliente de ter uma casa simples, mas com soluções incomuns, em terreno de 500 metros quadrados, o escritório FGMF Arquitetos adotou um padrão de modulação, no qual vigas foram posicionadas e apoiadas até o final dos muros. Além da função de travamento das paredes estruturais pré‑moldadas em concreto, acabamento das calhas e coberturas metálicas e organização espacial dos diferentes volumes que compõem a moradia, elas funcionam como trilhos para que pérgolas e coberturas possam se mover no terreno.


RoccoVidal+Arquitetos

Residência em Itatiba, SP
Uma fazenda em Itatiba, interior de São Paulo, foi reformada de forma compatível com a preservação do paisagismo e do lago existentes no local. Visando atender essa proposta, o escritório RoccoVidal+Arquitetos projetou uma composição de cubos e empenas que se adaptam à topografia. Um grande pavilhão corta o platô existente, enquanto o volume superior, constituído por um retângulo, parece se equilibrar entre um bloco cúbico de pedras.


CR2 Arquitetura

Casa Jardins, SP
Em região central de São Paulo, uma antiga cozinha industrial deu lugar a uma casa que funciona como respiro na paisagem urbana. O escritório CR2 projetou uma grande caixa de concreto no primeiro pavimento, onde vazios proporcionam iluminação natural. Esses espaços foram preenchidos com jardins. Para que a laje do primeiro andar fosse avistada do térreo, empregaram-se vigas invertidas, que reforçam a identidade da caixa de concreto.


Projetos especiais

Soma Arquitetos
Edifício Odebrecht, São Paulo
Os responsáveis pela sede da empresa Odebrecht em São Paulo contrataram o escritório Soma Arquitetos para fazer um projeto de arquitetura paisagística que trouxesse mais vegetação ao meio urbano em que está inserida a edificação, o que contemplou uma área aproximada de 6,5 mil metros quadrados. Além da implantação de uma extensa parede verde, na fachada da edificação, outros quatro níveis foram contemplados. No térreo, por exemplo, foi feito o alargamento das calçadas, a arborização com espécies nativas, inseridos bancos, pisos drenantes e realizado o enterramento da fiação aérea. Já no quinto e sexto pavimentos, utilizaram-se pisos de madeira, bancos, jardineiras, árvores nativas e frutíferas, enquanto nos terraços desses andares entraram pérgolas metálicas, espelho d’água e vegetação.

Texto de | Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 417
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora