KAAN Architecten do Brasil: Edifícios educacionais, Piracicaba e São José dos Campos, SP

Flexibilidade e sustentabilidade

Em Piracicaba e São José dos Campos, cidades do interior de São Paulo, foram inaugurados novos campi da Universidade Anhembi Morumbi. Destinadas ao ensino de Medicina, as duas edificações compartilham a identidade arquitetônica, embora sejam distintas as suas proporções volumétricas. Os projetos, baseados em conceitos de sustentabilidade e flexibilidade, são assinados pela filial em São Paulo do escritório de arquitetura holandês KAAN Architecten

Fundado em 2014, em Roterdã, Holanda, pelos arquitetos Kees Kaan (que, desde 1988, era sócio de Felix Claus no Claus en Kaan Architecten), Vincent Panhuysen e Dikkie Scipio, o KAAN Architecten iniciou sua produção no Brasil em 2015, principalmente com projetos de planejamento urbano e restauração. A sede na capital paulista, no entanto, foi estabelecida oficialmente apenas dois anos depois, quando começou a ser construído o campus da Faculdade de Medicina da Universidade Anhembi Morumbi em São José dos Campos.

Paralelamente, o escritório holandês - cuja filial brasileira conta com equipe de arquitetos, urbanistas e engenheiros liderada por Renata Gilio - desenvolveu o projeto do campus Piracicaba, da mesma instituição, também voltado ao ensino de Medicina, no interior paulista. Em ambos, a participação do KAAN Architecten do Brasil se estendeu da assessoria na escolha dos terrenos até a conclusão da obra.

Os dois edifícios apresentam a nova identidade arquitetônica da instituição privada de ensino superior, com destaque para a linearidade das fachadas e a repetição de elementos, produzindo a sensação denominada pelos autores de “não escala”. Contudo, mesmo que intencionalmente discretas, as edificações assumem posição de destaque na paisagem urbana onde estão inseridas.

Implantação e volumetria

Finalizado em dezembro de 2017, o campus de São José dos Campos está próximo do cruzamento entre as principais rodovias de acesso ao município, em um terreno elevado com área de 29,7 mil metros quadrados que pouco foi modificado, com o edifício ajustado ao seu desenho natural.

Já o de Piracicaba, concluído em fevereiro deste ano, com 6 mil metros quadrados de área construída (dois pavimentos) e mais 3,3 mil metros quadrados de estacionamentos, ocupa horizontalmente terreno na parte sudeste da cidade - no eixo urbano expandido secundário. Intervindo minimamente na gleba com 14 mil metros quadrados de área, os arquitetos preocuparam-se em respeitar uma Área de Proteção Permanente e o rio das Pedras, além de toda a vegetação existente.

Embora implantado em terreno maior, o primeiro edifício tem volumetria um pouco mais compacta, com o programa distribuído em três pavimentos e um subsolo para estacionamento, já que era necessário certo distanciamento das linhas de transmissão de energia elétrica. São 5,3 mil metros quadrados (mais 1,8 mil metros quadrados de estacionamentos), construídos a partir de um sistema de lajes nervuradas com concreto moldado in loco. Um sistema de lajes alveolares com concreto pré-fabricado foi usado no edifício de Piracicaba. Nos dois casos, porém, obteve-se flexibilidade de design - premissa fundamental dos projetos - com a execução de grandes vãos livres.

“A escolha de um sistema estrutural modular permitiu à KAAN Architecten o envidraçamento livre de fachadas entre as finas lajes de concreto e as vigas da cobertura, seja no edifício moldado in loco, confiando na experiência da força de trabalho local, ou no edifício realizado em sistema pré-fabricado, otimizando a rapidez e a precisão da obra”, revela o escritório em memorial dos projetos.

Programa e controle solar

Ambos edifícios abrigam o mesmo programa: salas de aula, salas de informática, laboratórios, área administrativa, biblioteca e cafeteria. Os espaços de ensino foram organizados ao longo das fachadas, de modo a usufruir da luz que atravessa os painéis de vidro piso-teto; já os ambientes sociais localizam-se em um grande vão central com abundante circulação de ar natural.

O amplo uso de vidro também ocasionou transparência e conexão com o entorno, mas exigiu cuidados em relação à insolação. A partir de diversos estudos bioclimáticos e do sistema BIM, o escritório desenvolveu um sistema de pórticos adequado à necessidade de sombreamento de cada face, funcionando como brises verticais.

Também foi criada uma cobertura translúcida central (chapas de policarbonato alveolar), que está deslocada de um pergolado de madeira e das lajes de concreto, o que amplia a ventilação e conforto térmico no conjunto. Outras soluções sustentáveis na busca por eficiência energética, além do desenho das fachadas, foram uso de Led com difusores de luz e automação do sistema de ar condicionado.

Para atingir o conforto acústico almejado, por sua vez, foram aplicadas paredes de drywall com isolamento acústico de lã de rocha, e os ambientes de estudo e pesquisa possuem forro mineral de alta performance acústica. Por estarem longe de forte ruído urbano, os vidros das fachadas não precisaram de tratamento acústico especial.

   

  

KAAN Architecten
Com sede em Roterdã, Holanda, KAAN Architecten atua em um contexto global, misturando a experiência prática e acadêmica nos campos da arquitetura, urbanismo, pesquisa e estratégia. O escritório é liderado por Kees Kaan, Vincent Panhuysen, Dikkie Scipio e formado por uma equipe internacional de arquitetos, paisagistas, urbanistas, engenheiros e designers gráficos. A filial brasileira, criada em 2015, é comandada pela arquiteta associada Renata Gilio



Ficha Técnica

Universidade Anhembi Morumbi (UAM) - Campi São José dos Campos e Piracicaba
Local
São José dos Campos (SP); Piracicaba (SP)
Início do projeto 2016 (SJC); 2017 (Piracicaba)
Conclusão da obra 2017 (SJC); 2018 (Piracicaba)
Área do terreno 29.700 m² (SJC); 14.000 m² (Piracicaba)
Área construída 5.300 m² (SJC); 6.000 m² (Piracicaba)

Arquitetura KAAN Architecten - Kees Kaan, Vincent Panhuysen, Dikkie Scipio, Renata Gilio, Marco (Peixe) D’Elia e Ricardo Marmorato (autores); Cristina Gonzalo Cuairán, Mariana Mariano, Paolo Faleschini e Laís Oliveira Xavier (equipe, acrescida de Mariana Mariano em SJC); UrbSP Arquitetura e Urbanismo (colaborador)
Cliente R & G Incorporadora (SJC); V2 Investimentos (Piracicaba)
Locatário (processo BTS) Laureate International Universities - Universidade Anhembi Morumbi
Hidráulica Fortec Engenharia (SJC); GRS (Piracicaba)
Elétrica Eletrotécnica Volt (SJC); Scavone (Piracicaba)
Iluminação Eletrotécnica Volt (SJC)
Estrutura Protendit (Piracicaba)
Consultoria imobiliária BRC Group
Construtora R & G Incorporadora (SJC); Sobrosa Construtora (Piracicaba)
Fotos Fran Parente

Fornecedores

Protendit (estrutura pré-fabricada)
Alquali (caixilhos e pele de vidro)
Isocor (pintura paredes)
Solepoxi (pintura piso epóxi)
Nexti - HVAC (ar condicionado e exaustão)
Raktec (Instalações elétricas, hidrossanitárias e incêndio)

Texto de Camila Gonzalez| Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 445
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora