b720 Arquitectos: residencial Forma Itaim, São Paulo

Morar compacto

Terraços e elevadores com vista panorâmica, muita iluminação natural, sofisticados materiais de revestimento e farta infraestrutura de lazer e convívio social, embora com restrita metragem nas áreas residenciais. EssE é o tipo de habitação luxuosa em zonas centrais das metrópoles, na visão do arquiteto espanhol Fermín Vázquez e da incorporadora Huma

O Itaim Bibi é um distrito de Pinheiros, em São Paulo, composto por 12 bairros. Dentre eles, é na Vila Olímpia - uma área de transição e de densidade mista, com sobrados transformados em comércio convivendo com prédios residenciais e torres comerciais - que está localizado o edifício residencial projetado pelo arquiteto espanhol Fermín Vázquez, do b720 Arquitectos, para a Huma.

Trata-se do segundo empreendimento construído pela incorporadora, precedido pelo Huma Klabin, de autoria do Una Arquitetos (PROJETO 433, set/out de 2016), e caracterizado pela predominância de unidades de um dormitório com 45 metros quadrados de área, 108 entre as 123 totais da construção. Vizinho a ele, a Huma pretende edificar o seu terceiro empreendimento, o Huma Itaim, também concebido pelo Una, mas destinado a famílias maiores (PROJETO 435, jan/fev de 2017).

De modo diverso, o público alvo do Forma Itaim, como é chamado o projeto de Vázquez, é de solteiros ou casais sem filhos, com alto poder aquisitivo e potencial frequentador dos parques públicos da região (Parque Ibirapuera e Parque do Povo), restaurantes e centros comerciais. “Identificamos na época da compra do terreno que não existia no Itaim Bibi, zona com um dos metros quadrados mais caros do Brasil, um empreendimento de apartamentos compactos super premium. Era evidente para nós que essa demanda existia”, assinala a equipe da Huma.

Comparando o projeto com outros que desenvolve na Europa e Ásia, o arquiteto espanhol identifica tendência similar, também fora do Brasil, de se construir apartamentos compactos em zonas centrais das cidades, o que, consequentemente, pressiona o preço da terra e, portanto, faz surgir construções de alto padrão.

De fato, desde a metade dos anos 1980, o Itaim Bibi foi ganhando maior permeabilidade viária, consequência de melhorias, ainda que pontuais, do transporte público, e, assim, firmando-se como zona central da cidade frente ao prolongamento espacial da capital paulista.

O projeto do Forma Itaim teve início em 2012, considerando-se o coeficiente de aproveitamento de 2,5 vezes a área do terreno. Vázquez projetou uma torre elevada do solo, com 25 andares e seis apartamentos em cada - exceto unidades dúplex na cobertura e esparsas pelo edifício. Seu embasamento, assim, é constituído por volume que abriga parte das garagens (há apenas um subsolo para estacionamento, considerando-se uma vaga por unidade) e as áreas coletivas e de lazer, programa que ocorre também no 13º pavimento (onde estão localizados a academia e um espaço de estar/eventos) e no trecho posterior da cobertura, com piscina descoberta. Comparando-se a exígua metragem das moradias com as abundantes áreas comuns, chega-se a uma equação próxima à da hotelaria de elevado padrão, característica marcante do projeto.

Os apartamentos são iluminados através das varandas, orientadas para a frente e fundo do terreno, sendo que a parte posterior da edificação tem quatro níveis adicionais por causa dos índices de aeração e insolação vigentes no local. As empenas laterais são recobertas por fachada cerâmica ventilada que, apesar de originária de sistema industrializado, teve detalhamento personalizado pelo arquiteto, tanto no que diz respeito às dimensões das peças - mais estreitas, a fim de valorizar a esbeltez da torre - quanto ao seu padrão de instalação. O resultado é uma superfície não plana e colorida, cuja textura é enfatizada pelos reflexos multidirecionais da luz do sol. Os elementos cerâmicos são posicionados verticalmente, contrastando com a linearidade das varandas das fachadas principais.

O posicionamento central da torre na porção maior do lote - parcialmente interrompido por edificações vizinhas na sua parte frontal -, bem como a implantação de terraços nos recuos do embasamento fazem com que os interiores da edificação sejam fartamente iluminados, característica já marcante no prédio concebido pelo Una Arquitetos. Também aqui é relevante a relação amistosa da edificação com o espaço público, sendo que boa parte do nível de acesso é constituída por jardim, em parte aberto e descoberto. Sobre ele, estende-se em balanço o volume metálico que abriga o salão de festas, revestido externamente por chapa metálica perfurada cujo grafismo lembra o perfil de uma árvore.

Em síntese, trata-se de um projeto com unidades residenciais extremamente compactas e bem iluminadas, implantadas em ambiente social e de lazer similar a um hotel e detalhamento arquitetônico sofisticado, sobretudo no que diz respeito aos materiais.

b720 Fermín Vázquez Arquitectos
Com sedes em Madri e Barcelona, na Espanha, o b720 Fermín Vázquez Arquitectos foi fundado em 1997 por Fermín Vázquez - formado pelas Escolas Técnicas Superiores de Arquitetura de Madri (ETSAM) e de Barcelona (ETSAB ) - e Ana Bassat. De 2010 a 2016, o escritório, que tem no amplo portfólio trabalhos que vão do planejamento urbano ao design industrial, manteve uma filial no Brasil. Primeiro atuando ao lado de Jaime Lerner no projeto de reurbanização da orla do rio Guaíba, em Porto Alegre e, além do Forma Itaim, nos desenhos de dois edifícios para a Idea!Zarvos, ainda não construídos



Ficha Técnica

Edifício Forma Itaim
Local São Paulo, SP
Início do projeto 2012
Conclusão da obra 2017
Área do terreno 1.886 m² 
Área construída 11.533 m²

Arquitetura b720 Fermín Vázquez Arquitectos
Acústica Akkerman Soluções
Caixilharia Crescêncio Petrucci
Comunicação visual OZ Design
Luminotécnica Mosaico Iluminação
Coordenação de projeto Renata Marques Arquitetura
Instalações elétricas e hidráulicas PHE
Estrutura Aluizio D’Ávila
Metálica M|R|G
Painéis em chapa perfurada Alubond
Fachada ventilada NBK - Hunter Douglas
Paisagismo Hanazaki
Construção Tecnum
Incorporação ERC Desenvolvimento Imobiliário, Huma Desenvolvimento Imobiliário e GR Properties
Fotos Nelson Kon 

Fornecedores

Hunter Douglas do Brasil (fachada ventilada)
Arqtec Revestimentos (colocação da cerâmica da fachada ventilada)
Plan Metal (fachada ventilada estruturada)
Clatt (piso vinílico)
Eliane (piso cerâmico)
NS Brasil, Santorino (revestimento cimentício de piso)
Incepa, Portobello (porcelanatos)
Formica (laminado melamínico de paredes)
Gail (cerâmica das paredes dos terraços)
Assa Abloy (ferragens dos apartamentos)
Metalferco (ferragens das áreas comuns)
Fabrinox (bancadas de inox)
Tramontina (cubas de inox) 
Sincol (portas de entrada)
Pormade (portas de madeira de correr)
Mansur Vidros (vidros)
Igê Esquadrias Metálicas (esquadrias de alumínio)
Alubond (painéis perfurados da fachada)

Texto de Evelise Grunow| Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 439
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora