aflalo/gasperini Arquitetos: Leopoldo 1201, São Paulo, SP

Terraços imprimem aspecto dinâmico em edifício residencial

Para o terreno em um bairro nobre da capital paulista, surgiu o projeto deste edifício residencial que tira proveito da localização: o jogo de terraços desenha uma fachada frontal dinâmica, com a melhor condição possível, voltada para norte e aberta à vista

Aqui, as premissas para o projeto do residencial em torre única facilitaram a entrega de um resultado singular, percebido com certo ineditismo no portfólio do escritório. O cliente trouxe a demanda de um prédio com unidades de cerca de 260 metros quadrados cada uma, repletas de luz e ventilação naturais, cercadas de verde – e exclusivas, como sugeria a localização numa rua calma do bairro do Itaim Bibi, na zona Oeste de São Paulo. “A ideia era reproduzir a sensação de uma casa”, resume a arquiteta Grazzieli Gomes, integrante da equipe designada para a tarefa.

Contava a favor a situação do terreno de 1131 metros quadrados em formato trapezoidal, voltado para norte e diante de uma pequena via (de topo, em frente). Ou seja: daria para posicionar as áreas sociais nesta face, onde desfrutariam de ampla vista e insolação favorável. Melhor ainda, os fundos do lote (um chanfrado) voltavam-se para um pequeno vazio urbano entre prédios – e novamente os visuais sairiam valorizados. Consideradas as áreas das laterais, menos generosas, e os recuos obrigatórios por lei, insinuava-se uma edificação esbelta.

Em busca da melhor equação para o gabarito, os arquitetos chegaram a um bom ponto de equilíbrio estipulando 22 pavimentos, cada um destinado a um apartamento de 269 metros quadrados com pé-direito de 3,24 m de piso a piso, sendo a cobertura um dúplex. O êxito da fórmula se efetivou com a perspectiva de empregar estrutura convencional associada a vigas protendidas para os terraços em balanço – fundamental para a linguagem dinâmica da fachada frontal. No restante, a estrutura imaginada visava possibilitar maior liberdade na distribuição e, desse modo, compreendia dois grandes pilares na frente do prédio, somados ao apoio da caixa das escadas e dos elevadores, além de outros dois pilares atrás, mais uma parede estrutural no fundo.

A fim de atender devidamente ao programa de necessidades imaginado para um público de alto padrão aquisitivo, investiu-se em uma planta tipo com quatro suítes, sendo uma delas flexível (pode ser incorporada à sala de estar) e uma copa-gourmet. O arranjo imaginado para as áreas comuns resumiu-se aos equipamentos mais usados num condomínio exclusivo, afinal, serão apenas 23 famílias convivendo no local: salão de festas gourmet aberto ao jardim e com fácil acesso para a equipe de bufê, academia de esportes, piscina coberta em forma de raia, sauna, brinquedoteca e um amplo terraço com outra piscina, descoberta, além de solário.

“Esse tem sido ‘o’ prédio no escritório, supercomentado entre nós, e muito disso se deve ao jogo de terraços”, diz Grazielli. Ela se refere, evidentemente, às jardineiras nas duas laterais, que avançam para além dos limites do peitoril e unem os dois terraços frontais (mais um terceiro, nos fundos). De concreto em duas espessuras diferentes – num resultado dinâmico -, as lajes se projetam 50 cm da fachada e assim sobreiam e protegem da chuva a unidade imediatamente embaixo. No paisagismo, destaque para a vegetação nativa adequada à insolação de cada face (o projeto coube ao paisagista Rodrigo Oliveira, que estipulou também irrigação automática a cargo do condomínio).

Embora não tenha sido uma exigência específica do contratante e sim algo proposto pela equipe de projeto, a linguagem acolhedora, minimalista e contemporânea da fachada agradou em cheio – e ainda promete agregar valor ao empreendimento na medida em que o diferencia dos edifícios cinzentos do entorno. Ao investir em elementos e materiais pouco usuais em edificações dessa tipologia (madeira, alumínio, brises e vegetação), a equipe de projeto buscou a originalidade e cativou adeptos dentro e fora do escritório. 



Ficha Técnica

Leopoldo 1201
Local São Paulo, SP
Ano do início do projeto 2016
Ano do término do projeto 2018
Área construída 10 974 m²
Área do terreno 1 132 m²

Arquitetura aflalo/gasperini arquitetos - (autores) Roberto Aflalo Filho, Luiz Felipe Aflalo Herman, José Luiz Lemos, Grazzieli Gomes (autores), Carlos Alberto Garcia (coordenação), Gustavo Oliveira, Daniela Mungai, Bruno Vargas, Reginaldo Okusako, Andrey Marques, Felipe Sato, Gabriel Braga (colaboradores)

Fornecedores

Interiores Gui Mattos Arquitetura
Paisagismo Rodrigo Oliveira Paisagismo
Luminotécnica Studio IX
Acústica Echoacústica
Projeto de Ar condicionado, climatização e pressurização Willem Scheepmaker & Associados
Automação e controle Sphe Engenharia de Instalações
Caixilharia e fachada Paschoal & Stefanini Consultores
Elétrica, hidráulica e combate a incêndio Sphe Enhenharia de Instalações
Estrutura Avila Engenharia de estruturas
Estrutura metálica Beltec Engenharia
Fundações Consultrix S.A. Eng Consultores Associados
Garagem Yusuf Arquitetura e PLanejamento de Garagem LTDA
Impermeabilização Proassp Assessoria e Projetos
Vedações Addor e Associados

Texto de Joana Baracuí| Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 447
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora