28º Opera Prima

Crematório público de Curitiba

Guilherme Figueiredo Teixeira Araújo (autor), Cleusa de Castro (orientadora) - Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba

O tema do trabalho é a criação de um crematório público em Curitiba, visando atender a demanda por esse tipo de equipamento na cidade que possui cerca de 1,9 milhão de habitantes. O local escolhido para a implantação é um bosque nativo, localizado ao norte da capital e caracterizado pelo fato de 75% da sua área ser de interesse de preservação.

A condição paisagística do lote é indicativa do propósito do projeto: criar uma arquitetura intimista que, espacial e visualmente, explore por meio das qualidades dos ambientes a temática da morte. Destaca-se, nesse sentido, a proximidade da edificação com o rio que corta o terreno e o seu posicionamento em meio a uma clareira da vegetação, resguardando a construção junto ao ambiente natural.

Devido a essa condição, o alcance da iluminação natural dos interiores e os enquadramentos da paisagem, feitos através das aberturas da  edificação (de fachada e zenitais), tornam-se aspectos centrais do projeto.

A linha foi escolhida pelo autor como metáfora fundadora do partido arquitetônico, sobretudo por representar o decorrer do tempo e por simbolizar a transposição de uma barreira.

Volumetricamente, a linha dá origem a uma barra que parece levitar, pois, elevada do solo, toca o chão através de um fechamento envidraçado. Ele acompanha a circulação pública, de acesso às áreas de cerimônias fúnebres (no térreo da edificação). Já o subsolo, semienterrado, é ocupado pelas áreas técnicas e depósitos.

O volume sólido arquitetônico – idealizado em concreto aparente – é entremeado por grandes vazios. São pátios internos, descobertos, e amplas janelas nas fachadas, através das quais se vê o céu e o verde circundante. Essa posição intermediária (entre dentro e fora) é a essência da arquitetura.

PARECER DO JÚRI
Trata-se de um minucioso trabalho de arquitetura, sensível na espacialidade que cria. Simples na sua materialidade e forma, destaca‑se pela eloquência intimista dos interiores.


Guilherme Figueiredo Teixeira Araújo
Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba

CLIQUE AQUI para baixar a prancha do projeto na íntegra.



Texto de | Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 441
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora