MMBB divide sua trajetória com público em São Paulo

O encontro realizado no Museu da Casa Brasileira permeou por histórias, projetos, parcerias e realizações do renomado escritório paulistano


(Foto: Vitor Kawamura)

Em tom de aula, o encontro ministrado pelo arquiteto e urbanista Milton Braga - que, juntamente à Marta Moreira, fundou o escritório paulistano MMBB – permeou por projetos de diversas escalas, contrapondo obras mais privativas às de cunho público. Além disso, foram ressaltadas suas participações em concursos públicos e parcerias com arquitetos para desenvolvimento de novos projetos.

O evento, com o tema “MMBB: Da cidade à casa”, foi realizado na noite da última quarta-feira, 6 de junho, como parte do programa de palestras realizado pela plataforma Arq!Bacana, revista PROJETO e Museu da Casa Brasileira (MCB), em São Paulo.

Dentre suas realizações, o escritório deu destaque ao edifício RDR 30 (Santiago, Chile); ao retrofit do Centro de Cultura e Recreação do Clube Pinheiros; HIS Jardim Edite; à recuperação do Córrego do Antonico; garagem pública do parque Trianon; à escola FDE, em Campinas; a algumas das residências elaboradas pela equipe; e ao recém-inagurado Sesc 24 de Maio, localizado no centro da capital paulista.

Milton Braga revelou que, ao projetar o novo Centro de Cultura e Recreação do Clube Pinheiros (leia matéria completa na revista PROJETO, edição 441), houve a reflexão de como integrar os pavimentos de um edifício desta tipologia. A conclusão foi conectar os andares através de rampas de acesso, promovendo a livre circulação dos usuários. Além disso, a integração entre os espaços interiores e jardins foi dada por brises alternados nas fachadas, a fim de proporcianar a visualização da paisagem, sem prejudicar a privacidade.

Ampliando a escala, o projeto de HIS Jardim Edite (leia matéria completa na revista PROJETO, edição 401) foi um exercício para a equipe de como fazer uma habitação social totalmente integrada à cidade, colocando em seu térreo aquilo que é de interesse público. O resultado foi um empreendimento composto por três torres e dois edifícios em lâmina, com equipamentos como creche, unidade de saúde e um restaurante-escola.

As fachadas dinâmicas também são ícones desse projeto: “mostra uma ideia que, desde o início, a gente imaginava – e que, de certa forma, funciona – que é fazer um prédio com uma fachada simples e muito gráfica, em alternância de sombra e luz, de preto e branco muito marcantes. Isso faz com que toda essa vida comece a aparecer e que, em vez de ficar desorganizada, fique bem organizada por essa trama da arquitetura”, explicou Braga.

Sobre o Sesc 24 de Maio, cuja inauguração ocorreu em 2017 (leia matéria completa na revista PROJETO, edição 440), o sócio afirmou: “A proposta mais marcante é a piscina nessa cobertura (…)”. Como curiosidade, o arquiteto revelou que o prazo alongado para a execução do projeto resultou em alterações consideráveis na proposta inicial e, na própria piscina, que acabou por receber o duto de exaustão em seu centro para que as rampas não fossem comprometidas – uma vez que seria justamente na região dessa circulação que o duto passaria, se não fosse adaptado à proposta atual.



Publicada originalmente em ARCOweb em 08 de Junho de 2018
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora