Lançamento: livro sobre Rodrigo Lefèvre

Chamada "Rodrigo Brotero Lefèvre e a vanguarda da arquitetura no Brasil", a obra assinada pelo professor Miguel Antonio Buzzar apresenta a trajetória do arquiteto e traz prefácio de um de seus parceiros, o também arquiteto Sérgio Ferro. O evento de lançamento, no Instituto Casa Vilanova Artigas, inclui um bate-papo entre o autor e Rosa Artigas, previsto para o dia 11 de junho, terça-feira, às 19h30


A trajetória do arquiteto paulista com forte atuação nas décadas de 60, 70 e 80 ganha uma nova abordagem na publicação das Edições Sesc São Paulo, que apresenta a teoria de Rodrigo Lefèvre e analisa suas principais obras, das residências aos prédios públicos. Miguel Antonio Buzzar, professor do curso de Arquitetura da USP São Carlos, faz essa exposição dentro do contexto histórico, levando o leitor a entender a atuação possível da arquitetura no ambiente político durante o regime militar. Outro trunfo do livro reside no apelo visual do volume, que inclui uma recompilação de material gráfico e fotográfico, resultado de uma ampla pesquisa documental realizada pelo autor durante a preparação de sua tese de doutorado, trabalho que deu origem a este volume. E mais: há ainda um bom número de imagens inéditas.

A narrativa começa pela turbulenta década de 1960, cenário para o desenvolvimento da carreira de Lefèvre, marcada pela aproximação de Sérgio Ferro e Flávio Império. Então professores na FAU-USP, os três arquitetos constituíram o grupo conhecido como Arquitetura Nova, empenhado numa leitura crítica da Escola Paulista de arquitetura, liderada por Vilanova Artigas. Divergências quanto ao papel social da arquitetura os levou ao rompimento: Lefèvre defendia maior participação dos pedreiros nas decisões construtivas e arquitetônicas, além de condições mais humanas de trabalho, concebendo o canteiro não como um lugar de exploração da mão de obra, mas sim de formação de cidadãos.
A obra oferece ainda uma reflexão sobre a formação da casa brasileira em geral, por meio do seu 'programa doméstico'. No decorrer do livro, percebe-se que Buzzar percorre - ajustando as semelhanças e diferenças - da casa moderna brasileira à ideia de uma casa moderna paulista cujas particularidades (baseadas nas propostas iniciais de Vilanova Artigas e seguidas posteriormente por aquelas dos 'arquitetos dissidentes'), construíram conceitual e objetivamente uma tipologia precisa de casa, que em Lefèvre alcança a especificidade de uma proposta autoral.

Outro detalhe relevante: a análise da atividade projetiva de Lefèvre não se limita à produção anterior aos anos 1970, como em geral ocorre. Pelo contrário, Buzzar desenvolve uma importante pesquisa sobre a produção de Lefèvre como "trabalhador assalariado", apresentando os projetos desenvolvidos para a empresa Hidroservice, equipamentos que levaram a marca da vida social da casa para a cidade, lembrando o ditado de Artigas: "as cidades como as casas".

Confira alguns projetos do arquiteto no final da reportagem.


Rodrigo Brotero Lefèvre e a vanguarda da arquitetura no Brasil
Lançamento dia 11 de junho de 2019, terça-feira, às 19h30 (bate-papo com o autor Miguel Antonio Buzzar e Rosa Artigas, seguido de sessão de autógrafos)
Local Instituto Casa Vilanova Artigas
Endereço Rua Barão de Jaceguai, 1151, Campo Belo, São Paulo
Entrada gratuita e aberta ao público

Editora Edições Sesc São Paulo
312 páginas, de 23 x 23 x 2 cm
À venda no site da editora por R$ 110



Publicada originalmente em ARCOweb em 07 de Junho de 2019
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora