Exposições prestam tributo ao arquiteto Gregori Warchavchik

Mostra contextualiza a criação da Casa Modernista na história da arquitetura moderna brasileira e destaca o pioneirismo do arquiteto Gregori Warchavchik no movimento modernista


Casa Modernista (1928), o arquiteto ucraniano-brasileiro Gregori Warchavchik (Foto: Cultura) 

A partir do dia 27 de abril, a exposição A Casa Modernista será realizada no espaço que dá nome à mostra e que apresenta ao público a história da casa e do responsável pelo projeto: o arquiteto ucraniano-brasileiro Gregori Warchavchik. A exposição, idealizada pela arquiteta Silvia Prado Segall, reúne fotos, croquis e plantas que recontam a história do arquiteto e de sua relação com o espaço.

A abertura da exposição será marcada por uma apresentação especial do maestro João Carlos Martins, reconhecido mundialmente por suas gravações pianísticas de Bach, e do tenor Jean William, que interpretou obras como o príncipe de Mônaco e o papa Francisco.
A exposição proporciona ao visitante imersão na casa: "Além de sua relevância histórica, Gregori merece ser reverenciado por seu traço. Se olharmos com atenção para seu trabalho, reconhecemos em fachadas, mobiliários, luminárias e maçanetas, o seu traço forte, limpo e elegante", pontua Silvia Prado Segall.

A mostra A Casa Modernista complementa o projeto Ocupação Itaú Cultural, que em sua 44ª edição homenageia o arquiteto e ocupa a sede do instituto e, ainda, o Museu Lasar Segall - antiga residência e ateliê do artista que dá nome à instituição, também projetada por Warchavchik. A iniciativa reúne alguns de seus projetos, fotos pessoais e entrevistas em vídeo que trazem a ideia do rompimento que sua produção moderna representou para a arquitetura brasileira.

O arquiteto e o projeto da casa se fazem importantes para a história da arquitetura genuinamente brasileira. Inaugurada em 1928, dois anos depois Gregori Warchavchik publicou o famoso Manifesto Modernista, que rompia com os padrões estabelecidos pela burguesia paulistana da época, quando a urbanização de São Paulo era ainda pautada pela Belle Époque parisiense com arquitetura marcada pelos estilos neogótico, classicista, art nouveau e art decó. O novo tratado priorizava simplicidade, geometria das formas e principalmente, linhas retas – características expressas na Casa Modernista.

A Casa Modernista
Local Casa Modernista
Endereço rua Santa Cruz, 325 – Vila Mariana, (SP)
Abertura sábado 27/04, às 13h
Visitação terça-feira a domingo, das 9h às 17h

Ocupação Gregori Warchavchik
Local Itaú Cultural
Endereço av. Paulista, 149 – Bela Vista, (SP) | piso térreo
Abertura sábado 27/04, às 11h
Visitação terça-feira à sexta-feira, das 9h às 20h | sábados, domingos e feriados, das 11h às 20h

Ocupação Gregori Warchavchik
Local Museu Lasar Segall
Endereço rua Berta, 111 – Vila Mariana, (SP)
Visitação quarta-feira a segunda-feira, das 11h às 19h

Publicada originalmente em ARCOweb em 22 de Abril de 2019
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora