Vitrine substitui muro na raia olímpica da USP

Projeto foi desenvolvido gratuitamente pelo escritório Jóia Bergamo Arquitetura e Design de Interiores

Ainda no século passado, quando vinha de Ribeirão Preto, SP, cidade onde nasceu, o reitor da Universidade de São Paulo (USP), Marco Antonio Zago, chegava à Cidade Universitária, na zona oeste de São Paulo, pela marginal do rio Pinheiros. Ao se aproximar da USP, Zago imaginava existir um presídio na face interna do extenso muro que fica à direita da pista de automóveis.

A imaginação de Zago não resistiu por muito tempo, mas o muro que segrega a raia olímpica da Cidade Universitária permanece separando a USP da cidade onde ela está inserida. Em setembro essa situação deve começar a mudar com o início das obras que substituirão o paredão de concreto por aquela que será a mais longa vitrine (o conceito é do escritório Jóia Bergamo Arquitetura e Design de Interiores, responsável pelo projeto) envidraçada de toda a cidade.

A vitrine é constituída por painéis de vidro e alumínio. De acordo com a prefeitura serão três metros de vidro e um metro de concreto, totalizando quatro metros de altura, e 2,2 quilomêtros de extensão. A acústica é considerada igual ou superior ao muro de concreto existente. A previsão é de que a obra esteja pronta até o aniversário da cidade, em 25 de janeiro de 2018. Paralela à marginal do Pinheiros, a raia olímpica é um conjunto esportivo destinado à prática do remo e da canoagem. Conta com vestiários, sala de musculação, pista rústica, barcos e garagem.

Em maio, a prefeitura de São Paulo, junto com a USP, havia divulgado a intenção de colocar o muro abaixo, substituindo o por gradil metálico. Diante porém de reações contrárias e do receio de que a solução ampliasse a poluição ambiental e acústica para o interior do campus, o projeto foi reformulado e o cercamento metálico cedeu lugar ao envidraçamento – a novidade foi anunciada em entrevista coletiva em 19 de julho da qual participarem entre outros, o prefeito João Doria e o reitor.

A proposta - da qual a arquiteta Jóia Bergamo disse muito se orgulhar - é tornar a vedação uma imensa vitrine da universidade. Participante de longa data das mostras Casa Cor (evento do qual o atual prefeito já esteve à frente por algumas edições), a arquiteta foi convidada a desenvolver o projeto (concebido de forma totalmente gratuito) pelo executivo Ângelo Derenze, diretor-geral do D&D Shopping, e que também foi presidente da Casa Cor.

A construção da vitrine - cujo custo está estimado em 15 milhões de reais - será totalmente bancada por recursos da iniciativa privada, assegurou o prefeito, que, com hábil retórica, classifica o projeto como uma aproximação da USP com a cidade, análise reforçada pelo reitor. Participam do projeto com colaborações variadas as empresas Prevent Senior, Jóia Bergamo Arquitetura de Interiores, Estrutec Engenharia, Falcão Bauer, Tempermax, Guardian, Ci&Lab, Votorantim/CBA, Magna Studio, Farah Service,
GCL Brasil, Frances Alves e Shopping D&D.

Confira abaixo um vídeo com apresentação do projeto:

Publicada originalmente em ARCOweb em 19 de Julho de 2017
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora