Nivaldo de Andrade Júnior é o novo presidente nacional do IAB

O arquiteto baiano assume a presidência da Direção Nacional do Instituto de Arquitetos do Brasil no triênio 2017-2020

Nivaldo Vieira de Andrade Júnior, novo presidente nacional do IAB (Foto: reprodução)

O arquiteto baiano Nivaldo Vieira de Andrade Júnior foi eleito presidente da Direção Nacional do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) para o triênio 2017-2020. A eleição e cerimônia de posse foi realizada durante a 152ª reunião do Conselho Superior do IAB, na última sexta-feira, 29 de setembro, em São Paulo.

Nivaldo de Andrade é doutor em Arquitetura e Urbanismo (FAUFBA), membro da atual diretoria do IAB-BA, entidade na qual foi presidente no triênio 2012-2014. A última vez que a Bahia sediou a presidência da Diretoria Nacional foi na gestão do arquiteto Benito Sarno, entre 1970 e 1972.


Em entrevista ao ARCOweb, o presidente nacional do IAB comenta os planos da nova diretoria, projetos para o ensino da arquitetura e os preparativos para o congresso UIA.2020.Rio. Confira:

Em termos gerais, quais são os planos da nova diretoria do IAB Nacional para a gestão 2017-2020? Quais são as suas prioridades de ação?

R. Os desafios para a nova Direção Nacional do IAB são muitos e em diversas frentes. Na nossa plataforma de trabalho, estabelecemos uma agenda para o próximo triênio que inclui ações voltadas à valorização da arquitetura e do urbanismo, como a defesa dos concursos públicos, do projeto completo e da efetiva implantação da Lei de Assistência Técnica. A agenda contempla também o protagonismo do IAB na política profissional, dando seguimento a uma história de reflexão e participação ativa nas questões mais relevantes nacionalmente, não só dos campos da arquitetura e urbanismo, mas também das cidades e do território, da cultura e do meio ambiente. Evidentemente, essas ações devem estar articuladas com as demais entidades da área e também de áreas afins a cada um desses temas, como historicamente ocorreu. Temos também que enfrentar desafios de natureza institucional: a poucos anos de completar seu primeiro centenário, em 2021, o Instituto precisa reforçar sua presença nacional, pois em alguns estados, especialmente nas regiões Norte, Centro-Oeste e, em menor escala, Nordeste, os departamentos do IAB têm existências sazonais, e muitos estão atualmente inativos. A nossa gestão tem o compromisso de ir a cada um desses estados e reunir as lideranças da área para viabilizar, juntos, a reativação destes departamentos. O maior capital que o IAB tem é a sua capilaridade. Por fim, mas não menos importante, é preciso estabelecer estratégias para garantir a sustentabilidade financeira do Instituto, mantendo sempre sua independência.

Em relação ao ensino de arquitetura, há algum projeto em vista?

R. Sem dúvida, até mesmo porque trata-se de um tema que sempre esteve na agenda do IAB e que, neste momento de expansão acelerada do número de cursos de graduação em arquitetura em todo o território nacional, esse tema se torna ainda mais relevante. Em diversos estados, o número de arquitetos e urbanistas duplicou desde a criação do CAU. Essa situação é duplamente preocupante, seja pelo fato de, tradicionalmente, somente uma parte da sociedade ter acesso ao trabalho do arquiteto, seja pela grande desigualdade na qualidade do ensino entre os melhores e os piores cursos de arquitetura. Temos também um projeto de formação continuada, que está começando a ser estruturado, mas que tem como objetivo utilizar a capilaridade do IAB, presente em praticamente todas as unidades da federação, e a expertise de seus membros em diversas áreas, de habitação de interesse social a intervenções arquitetônicas no patrimônio edificado, para estruturar, no seio do Instituto, um centro de formação continuada para arquitetos e urbanistas. Essa ação suprirá uma lacuna, uma vez que o Brasil observou, nos últimos 20 anos, uma ampliação quantitativa e qualitativa dos cursos de pós-graduação "stricto sensu" que não ocorreu, pelo menos na mesma escala, com os cursos de especialização e aperfeiçoamento.

Faltam pouco mais de dois anos para a realização do UIA 2020, o Congresso Mundial de Arquitetos que será realizado no Rio de Janeiro. Qual o papel do IAB na preparação do evento e quais são os próximos passos para a sua realização?

R. Faltam 2 anos e 10 meses, ou seja, quase três anos. O IAB é o representante dos arquitetos brasileiros na UIA e o responsável pela realização do evento, contando com a decisiva colaboração das demais entidades de arquitetos brasileiras, da ANPARQ, do CAU-BR, do CIALP e da FPAA, que constituem o CIAU 2020 (Conselho de Instituições de Arquitetura e Urbanismo). Estamos organizando uma série de eventos preparatórios para discutir aspectos específicos do evento. O ArquiMemória 5 - Encontro Internacional sobre Preservação do Patrimônio Edificado, organizado pelo IAB-BA, acontecerá em Salvador entre 27 de novembro e 1 de dezembro deste ano, reunindo especialistas de 20 países e de praticamente todos os estados do Brasil. Este evento setorial vai ajudar na estruturação do UIA 2020 no que se refere ao campo do patrimônio. O UIA 2020 também terá espaço na II Conferência Nacional de Arquitetura e Urbanismo, que o CAU-BR organizará no Rio entre 7 e 10 de outubro e cujo tema está diretamente vinculado ao do UIA 2020 ("Todos os mundos"). Nesta conferência, o IAB apresentará a estrutura conceitual do evento de 2020. Outros seminários, encontros e exposições também estão sendo planejados para os próximos anos, como o 21º Congresso Brasileiro de Arquitetos que o IAB-DF organizará em Brasília no próximo ano, constituindo assim uma agenda preparatória contínua para o UIA 2020.


Conheça a nova diretoria nacional eleita:


Presidente Nacional: Nivaldo Andrade (IAB-BA)

Vice-presidente Nacional: Fabiano Melo (IAB-PB)

Secretário-geral: Luiz Antônio de Souza (IAB-BA)

Diretora Administrativa e Financeira: Solange Araujo (IAB-BA)

Diretor Cultural: Roberto Ghione (IAB-PE)

Vice-presidente Região Centro-Oeste: Carlos Lucas Mali (IAB-MS)

Vice-presidente Região Nordeste: Custodio Santos (IAB-CE)

Vice-presidente Região Norte: José Augusto Bessa (IAB-AM)

Vice-presidente Região Sudeste: Fernando Túlio Franco (IAB-SP)

Vice-presidente Região Sul: Carlos Alberto Sant’Ana (IAB-RS)

Vice-presidente Extraordinário Caixa de Fomento e Sustentabilidade: Luiz Reis (IAB-PR)
Vice-presidente Extraordinário Valorização Profissional: Célio Melis (IAB-DF)

Vice-presidente Extraordinário Núcleos: Aníbal Verri Junior (IAB-PR)

Vice-presidente Extraordinário Congresso UIA 2020 Rio: Nadia Somekh (IAB-SP)

Publicada originalmente em ARCOweb em 03 de Outubro de 2017
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora