Aresto Arquitetura: Residência, Jundiaí, SP

Na base, uma grande pedra; por cima, a leve casca branca

Recuos legais em razão da localização do lote em uma esquina reduziu a área disponível para a construção. Projeto distribui quase que a totalidade do programa no pavimento térreo

“Um cenário espetacular no horizonte, ao lado de áreas de preservação ambiental. Dentro de Jundiaí, é perto de tudo, mas com a privacidade ideal." É dessa forma que, no site do Residencial Terras de Jundiaí, os empreendedores se referem a alguns dos atributos do condomínio, situado em Caxambu, bairro da região norte de Jundiaí, cidade que fica há cerca de 60 quilômetros da capital paulista. E num dos lotes do condomínio que o Aresto Arquitetura, escritório constituído em 2009 por Danillo Mazzani, foi contratado para desenvolver o projeto de uma residência, a qual ele deu o nome do bairro.

Os clientes do Aresto nasceram na região sul do Brasil, conta Mazzani. Por razões profissionais, eles precisaram mudar para Jundiaí, onde passaram a residir em uma casa alugada, até optarem por fixar residência no município com o qual acabaram identificando-se. Depois de pesquisarem na internet, eles consultaram alguns escritórios da região e, por razões diversas, escolheram o Aresto para o encargo. De acordo com o autor do projeto, os clientes pediram uma casa térrea, em estilo moderno, e com o maior número de dormitórios possível – o casal costuma receber muitas visitas.

Uma das questões que se apresentava como desafio era a pouca área de terreno disponível para a construção. O lote, explica Mazzani, está em uma esquina, posição que, pela legislação do condomínio, determina uma série de recuos. “Perdeu-se muito área em razão dessas condições e, por isso, foi necessário implantar a garagem no nível inferior”, justifica. O arquiteto (que formou-se em 2008 pela FAU/Mackenzie) argumenta também que as formas simples da edificação - a avaliação é do próprio autor - deveu-se à necessidade de ser uma construção rápida e econômica.

O partido adotado surgiu em decorrência da topografia original do terreno - “que praticamente não sofreu alterações”, observa o titular do Aresto. Conforme fora solicitado, Mazzani abrigou quase que a totalidade do programa em um único pavimento – na cota inferior fica apenas a garagem para três carros.

A residência possui planta em formato de U – com essa configuração, a construção envolve o espaço de lazer, trazendo privacidade a área da piscina. “Nos três dormitórios voltados para a rua, a solução para garantir privacidade foi adotar janelas com peitoris mais altos que o convencional. As aberturas externas e panos de vidro foram pensados para obter o melhor aproveitamento da ventilação e iluminação naturais”, informa o arquiteto. Externamente, o pavimento principal foi revestido por massa branca, painéis de alumínio composto que camuflam a entrada, pedra natural e revestimento cimentício.

“Os materiais de acabamento associados à geometria de linhas retas da casa conferem ao projeto um aspecto contemporâneo e minimalista”, opina o autor do projeto.

Sobre o conceito da proposta, Mazzani recorre às formas de ocupação que vem ocorrendo nas imediações do condomínio para explicá-lo: “Na vizinhança do Terras do Jundiaí, observa-se suas realidades distintas”. “Em uma, está presente a natureza abundante com a qual o homem convive de forma harmoniosa nas áreas de chácaras e propriedades rurais. A outra é caracterizada pela ocupação da terra de forma devastadora e impositiva, representada pelos novos bairros e condomínios”, acrescenta.

Para simbolicamente retratar essas características, o projeto é composto por dois elementos. “Uma base de aparência pesada, bruta, que lembra uma grande pedra, representando a ocupação humana agressiva à natureza, e uma 'casca' branca leve que sobrepõe esse bloco representando a ocupação harmoniosa do homem com a natureza. Esta sobreposição reflete o nosso desejo de que a vida em harmonia com a natureza seja o modelo que prevaleça na região”, conclui Mazzani.



Ficha Técnica

Casa Caxambu
Local Jundiaí, SP
Início do projeto 2015
Conclusão da obra 2017
Área do terreno 492,62 m²
Área construída 246,04 m²

Arquitetura e interiores
Aresto Arquitetura
Luminotécnica Hansa
Estrutura, fundações, elétrica, hidráulica, ar condicionado e construção Construtora Jundiaí
Fotos Pedro Napolitano Prata e Alexandre Rodrigues

Fornecedores

Cerâmica Martins (brise, cobogó Rama);
Etna (tapetes);
Eternit (cobertura);
Ecoville (cortinas e persianas);
Manfer (esquadrias, painel composto de alumínio, vidros); 
Pedra Viva (revestimento cimentício);
Romaluz, Interlight, Osram, Fermarte (lâmpadas e luminárias);
Deca (louças e metais);
Romanzza (mobiliário);
Marmoraria Alto Padrão (pedras, mármores e granitos);
Suvinil (tintas);
Portinari, Portobello, Atlas, Rerthy (revestimentos cerâmicos)

Publicada originalmente em ARCOweb em 27 de Abril de 2018
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora