Clube e natureza em sintonia

FGMF Arquitetos: Clube Tamboré Jaguariúna, São Paulo

Com 1400 metros quadrados de área construída, o Clube Tamboré Jaguariúna -situado em município homônimo, em São Paulo - tirou partido da topografia do terreno e dos elementos naturais que o compõe para decisão final de implantação

O percurso é fundamento para o projeto do Clube Tamboré Jaguariúna, que se desdobra a partir da incorporação, como partido, da declividade do terreno em que foi implantado – de aproximadamente 3.874 metros quadrados. Em cota mais alta, o acesso principal encaminha para os volumes da construção que, por sua vez, descortinam o lago situado aos fundos do lote.

O programa básico compreende salão de festas, fitness, brinquedoteca, espaços de serviços, vestiários, salão de jogos, SPA, piscinas e quadras esportivas, além da ampla área de convivência externa constituídas por solários e varandas.

Os três volumes, semienterrados e marcados por pé-direito simples, são praticamente imperceptíveis quando vistos sob o ângulo da entrada principal. Somada ao recurso dos caminhos, tal estratégia de implantação traz, portanto, a natureza local como protagonista, favorecendo a sinestesia entre ela e os sócios do clube.

Ainda, os volumes posicionam-se perpendicularmente em relação às curvas de nível e se dispõem separadamente no terreno. Novamente, os percursos são a maneira de integrar as construções não somente entre si, mas também em relação ao que está ao seu redor. Neles, estão dispostas áreas de estar que também convidam a estar ao ar livre. A qualidade do projeto de paisagismo está diretamente relacionada à questão de ter sido proposto em simultaneidade ao de arquitetura.

Segundo o arquiteto Rodrigo Marcondes Ferraz, titular do escritório FGMF Arquitetos - que conta com mais dois sócios: Lourenço Gimenes e Fernando Forte -: “A grande cobertura metálica, com forro de madeira, cobre o trio de volumes (...), possibilitando a vegetação da rua adentrar ao prédio e, no nível inferior, o jardim avançar pelo espaço entre os blocos”.

A materialidade também foi escolhida para funcionar como elemento integrador: “Os volumes principais são todos em estrutura de concreto armado aparente com fechamentos ora em alvenaria pintada de preto, ora em vidros temperados sem caixilhos”, conta Ferraz. A fim de proporcionar conforto térmico no interior dos ambientes fechados por vidro, foram adicionados brises metálicos brancos com espaçamentos variados, garantindo proteção contra insolação e desenho diferenciado.

O projeto ainda foi destaque no prêmio internacional Re-thinking The Future 2018 – que objetiva reconhecer os melhores projetos desenvolvedores de “uma linguagem arquitetônica que ‘sustente’ e ‘sobreviva’ aos impactos dos novos desafios”, constituindo uma “linguagem arquitetônica do futuro e levando a sustentabilidade um passo adiante”. O Clube Tamboré Jaguariúna foi classificado em primeiro lugar na categoria Esportes e Recreação - Construído.



Ficha Técnica

Clube Tamboré Jaguariúna, São Paulo
Início do projeto 2014
Área do terreno 3.874 m²
Área construída 1.448 m²

Arquitetura FGMF Arquitetos – Fernando Forte, Lourenço Gimenes, Rodrigo Marcondes Ferraz (autores); Ana Paula Barbosa, Gabriel Mota, Luciana Bacin, Sonia Gouveia, Carmem Procópio, Carolina Matsumoto, Desyree Niedo, Joel Bages, Juliana Fernandes, Juliana Nohara, Mirella Fochi, Vera Silva, Fernanda Silva, Fernanda Veríssimo, Flávia Theodorovitz, Frederico Branco, Gabriela Eberhardt, João Baptistella, Luiza Leptich, Nara Diniz, Otávio Araújo Costa, Pedro Ocanhas, Rafael Colombo, Rodrigo de Moura, Rodrigo Oliveira (equipe)
Fotos Rafaela Netto

Publicada originalmente em ARCOweb em 18 de Abril de 2019
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora