10 projetos que enaltecem o traço brasileiro dos cobogós

Esta criação nacional é símbolo de conforto térmico e boa arquitetura. Sua singularidade e fácil adaptação a diferentes formas ultrapassaram, rapidamente, as fronteiras brasileiras

Com beleza singular e funções que conversam diretamente com o clima nacional predominante, o cobogó teve seu momento de maior expressividade no modernismo brasileiro. Até hoje, o elemento com traço estético marcante confere identidade forte aos projetos e promove conforto ambiental para seus usuários.

Confira 10 projetos publicados pelas revistas PROJETO, FINESTRA e pelo portal ARCOweb, que usaram o cobogó como elemento norteador para suas concepções.


1. Studio mk27: Casa Cobogó, São Paulo
2. Studio Arthur Casas: Hotel Emiliano, Rio de Janeiro
3. Gui Mattos: Edifício de escritórios Módulo Bruxelas, SP
4. Mauro Munhoz Arquitetura: Restaurante Ráscal, São Paulo
5. Vo Trong Nghia: Residência, Vietnã (Foto: Hiroyuki Oki)

6. Gus Wüstemann Architects: Residência, Espanha
7. Bernardes Arquitetura: Edifício Anibal, Rio de Janeiro
8. Tria Arquitetura: Apartamento estúdio, São Paulo
9. Kengo Kuma e FGMF Arquitetos: Japan House, SP
10. Diller Scofidio + Renfro: Museu da Imagem e do Som, Rio de Janeiro

Publicada originalmente em ARCOweb em 08 de Junho de 2018
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora