Tecnologia Rio 2016

Pontes estaiadas na Via Transcarioca

Ligando a Barra da Tijuca ao Aeroporto Internacional Tom Jobim, na Ilha do Governador, a Transcarioca percorre uma distância de 39 quilômetros de extensão. Ao longo desse trajeto foram construídos dez viadutos, três mergulhões e nove pontes, duas delas projetadas com o sistema de estais e iluminação cênica

Com vias destinadas ao corredor expresso de ônibus (BRT) e ao trânsito de outros veículos, a Transcarioca passa sobre as águas da baía da Guanabara, em um de seus extremos, e sobre as lagoas de Jacarepaguá e da Tijuca, no lado oposto. Exatamente nesses pontos de ligação, essa obra viária ganhou duas pontes estaiadas que, junto com a ponte estaiada da linha 4 do Metrô, se transformaram em novos marcos da cidade do Rio de Janeiro.

Do lado da Barra da Tijuca está a ponte Dom Eugênio de Araújo Sales, vencendo o vão de cerca de 900 metros de extensão sobre a ligação das lagoas de Jacarepaguá e da Tijuca, na Zona Oeste do Rio. Comporta quatro faixas de trânsito - duas para o trânsito normal e duas exclusivas para o BRT. Quando iluminada, à noite, se transforma em obra monumental, com as luzes de lâmpadas LED projetadas em seus quatro mastros de 69 metros de altura, que ancoram os estais.

“Os estais funcionam como o apoio ao tabuleiro, sendo os esforços distribuídos, através dos cabos, para os mastros e depois às fundações”, explica Guilherme Jardim Freire, gerente comercial da Andrade Gutierrez Engenharia, responsável pela obra. No total são 56 estais, fabricados com aço galvanizado de elevada resistência à tração e tubos de proteção em polietileno. “Cada mastro tem oito estais de frente e seis de ré, ancorados por placas de ancoragem na ponte e tracionados através de macacos”, explica Freire.

“Um dos desafios para a construção da ponte da Barra da Tijuca era o solo mole da região. Com isso tivemos que construir aterros de conquista, para avançar com a obra. As fundações tiveram que ser bem profundas, já que os esforços eram concentrados nos mastros”, conta o engenheiro Eduardo Fagundes, gerente de Vias Especiais da Secretaria Municipal de Obras do Rio de Janeiro. “O tabuleiro foi feito em concreto e demandou execução cuidadosa para não deixar nichos de concretagem”, diz ele.

No lado oposto à ponte da Barra foi construída a ponte Prefeito Pereira Passos, exclusiva para o BRT e paralela à ponte de acesso à Ilha do Governador. Com cerca de um quilômetro de extensão - dos quais 400 metros são sustentados por estais -, ela faz a ligação entre a ilha do Fundão e a entrada da Ilha do Governador, sobre a Baía de Guanabara.

A etapa mais trabalhosa do projeto foi a construção dos dois mastros de 59 metros de altura sobre o espelho d'água da Baía da Guanabara. “A obra abrangeu especificidades de uma intervenção marítima, demandando aporte diferenciado com transporte de trabalhadores em balsas e lanchas, assim como necessitou de mão de obra apta a trabalhar em altura”, afirma Fagundes. No total, a Transcarioca tem 47 estações e cinco terminais, que promovem a interligação de 27 bairros.

Texto de Cida Paiva| Publicada originalmente em Finestra na Edição 99
  • 0 Comentários

ENVIE SEU COMENTÁRIO

Assine PROJETO e FINESTRA!
Acesso completo grátis para assinantes


Quem assina as revistas da ARCO pode acessar nosso acervo digital com mais de 7 mil projetos, sem custo extra!

Assine agora